Kennedy: seja qual for destino de Cunha, será ruim para Temer

Jornalista afirma que o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB) não descarta uma delação premiada, caso tenha seu mandato cassado pela Câmara; para Kennedy Alencar, qualquer que seja o desfecho de Eduardo Cunha, será ruim para o governo Temer; "Se Cunha escapar, ficará evidente que isso aconteceu com a ajuda do Palácio do Planalto e do PRB, o que vai gerar desgaste para o governo e alimentar a tese de proteção ao presidente da Câmara em troca da ajuda para aprovar o pedido de abertura de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff"

Brasília- DF 01-07-2015- Vice-Presidente Michel Temer, Eduarado Cunha, Renan Calheiros, Presidente do PT, Rui Falcão durante posse da presidente do PCdoB, Luciana Santos. Foto: Lula Marques/ Agência PT
Brasília- DF 01-07-2015- Vice-Presidente Michel Temer, Eduarado Cunha, Renan Calheiros, Presidente do PT, Rui Falcão durante posse da presidente do PCdoB, Luciana Santos. Foto: Lula Marques/ Agência PT (Foto: Aquiles Lins)

247 - O jornalista Kennedy Alencar afirmou nesta terça-feira, 14, que o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB) não descarta uma delação premiada, caso tenha seu mandato cassado pela Câmara, com a deterioração de sua base de sustentação política. 

"A cada dia que passa, surgem novas acusações de corrupção que dificultam a defesa do peemedebista", disse Kennedy. "Até aliados dele já sugerem abertamente a renúncia à presidência da Câmara, da qual já está afastado mesmo pelo Supremo, para tentar obter uma punição menor, como a suspensão temporária do mandato. Apesar de negar a intenção de renunciar à presidência da Câmara, essa cartada faz parte da estratégia de Cunha para a eventual votação da cassação em plenário", afirmou.

Para Kennedy Alencar, qualquer que seja o desfecho de Eduardo Cunha, será ruim para o governo Temer. "Se Cunha escapar, ficará evidente que isso aconteceu com a ajuda do Palácio do Planalto e do PRB, o que vai gerar desgaste para o governo e alimentar a tese de proteção ao presidente da Câmara em troca da ajuda para aprovar o pedido de abertura de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff", afirmou, acrescentando que esse cenário reforçaria a cobrança sobre o Supremo Tribunal Federal para punir Cunha e daria munição ao PT no debate público.

"Se Cunha perder o mandato, seu caso poderá ser remetido do Supremo ao juiz Sérgio Moro, em Curitiba. Nessa hipótese, não deve ser descartada uma delação de Cunha, a fim de tentar proteger a mulher e a filha, que também são investigadas. Isso seria dinamite pura."

Leia na íntegra o comentário de Kennedy Alencar. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247