Kennedy: STF deveria evitar remendo no caso Renan

"Apesar de parecer uma solução estapafúrdia, não surpreenderia uma decisão do STF que mantivesse Renan Calheiros (PMDB-AL) no comando do Senado, mas o impedisse de assumir a Presidência da República por estar na linha sucessória", afirma o jornalista, definindo o cenário hipotético como "esquisito"; segundo ele, "o ideal seria o plenário do STF ter a coragem de tomar uma decisão sobre o mérito da liminar monocrática de Marco Aurélio"; se o ministro errou, "a liminar deveria ser derrubada. Se não, deveria ser mantida. O meio termo seria mais um remendo institucional casuístico"

Marco Aurélio Mello
Marco Aurélio Mello (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O plenário do Supremo Tribunal Federal deveria manter ou derrubar a liminar do ministro Marco Aurélio Mello, que afastou do cargo o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), por este ser réu, defende o jornalista Kennedy Alencar.

"Apesar de parecer uma solução estapafúrdia, não surpreenderia uma decisão do STF que mantivesse Renan Calheiros (PMDB-AL) no comando do Senado, mas o impedisse de assumir a Presidência da República por estar na linha sucessória", afirma Kennedy, definindo o cenário hipotético como "esquisito".

 

Em sua avaliação, "o ideal seria o plenário do STF ter a coragem de tomar uma decisão sobre o mérito da liminar monocrática de Marco Aurélio". Se o ministro errou, "a liminar deveria ser derrubada. Se não, deveria ser mantida. O meio termo seria mais um remendo institucional casuístico".

Leia aqui a íntegra.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247