Kennedy: Temer faz apelo por votação de reformas e trabalha por lista fechada

Tensão pela lista de Janot levou Temer a fazer um apelo aos presidentes da Câmara e do Senado para evitar que as votações das reformas da Previdência e Trabalhista sejam paralisadas, diz o jornalista Kennedy Alencar; outro tema que entrou em discussão foi uma eventual anistia ao caixa 2 e a possibilidade de lista fechada para 2018; desta forma, "futuros investigados poderiam assegurar a eleição para a Câmara e também o foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal, porque o voto não seria no candidato, mas na lista elaborada pelo partido", lembra Kennedy

Tensão pela lista de Janot levou Temer a fazer um apelo aos presidentes da Câmara e do Senado para evitar que as votações das reformas da Previdência e Trabalhista sejam paralisadas, diz o jornalista Kennedy Alencar; outro tema que entrou em discussão foi uma eventual anistia ao caixa 2 e a possibilidade de lista fechada para 2018; desta forma, "futuros investigados poderiam assegurar a eleição para a Câmara e também o foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal, porque o voto não seria no candidato, mas na lista elaborada pelo partido", lembra Kennedy
Tensão pela lista de Janot levou Temer a fazer um apelo aos presidentes da Câmara e do Senado para evitar que as votações das reformas da Previdência e Trabalhista sejam paralisadas, diz o jornalista Kennedy Alencar; outro tema que entrou em discussão foi uma eventual anistia ao caixa 2 e a possibilidade de lista fechada para 2018; desta forma, "futuros investigados poderiam assegurar a eleição para a Câmara e também o foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal, porque o voto não seria no candidato, mas na lista elaborada pelo partido", lembra Kennedy (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O aumento da tensão política em Brasília decorrente da segunda lista do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, no âmbito da Operação Lava Jato, levou Michel Temer a fazer um apelo aos presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Eunício Oliveira (PMDB-CE), para evitar que as votações nas duas casas legislativas – incluindo a da reforma da Previdência, sejam paralisadas, diz o jornalista Kennedy Alencar.

Temer também discutiu, durante encontro no Palácio do Planalto, os pontos para uma reforma política de maneira a estancar os efeitos da Lava Jato. Além de uma possível anistia aos crimes de caixa 2, existe uma tendência de fazer com que os deputados federais sejam eleitos por meio de listas fechadas elaboradas pelos partidos.

Outro tema que entrou na discussão de encontro no Palácio do Planalto foi realizar uma reforma política para conter danos da Lava Jato. Além de eventual anistia ao caixa 2, há uma articulação para que em 2018 os deputados federais sejam eleitos por listas partidárias.

Desta forma, "futuros investigados poderiam assegurar a eleição para a Câmara e também o foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal, porque o voto não seria no candidato, mas na lista elaborada pelo partido", destaca o jornalista.

Leia a íntegra aqui

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247