Kiko Nogueira: Alckmin foi dar um rolê no Roda Viva

O jornalista Kiko Nogueira, editor do DCM, avalia que a presença do pré-candidato Geraldo Alckmin, ontem, no programa Roda Vida da TV Cultura, é mais uma comprovação de que a linguagem e a própria TV, supostamente educativa, morreram; Nogueira afirma que a condescendência da bancada de entrevistadores na blindagem ao tucano fez lembrar a truculência da bancada selecionada para fustigar Manuela d'Ávila, há pouco mais de um mês no mesmo programa, pretensamente democrático e plural

Kiko Nogueira: Alckmin foi dar um rolê no Roda Viva
Kiko Nogueira: Alckmin foi dar um rolê no Roda Viva (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Kiko Nogueira, editor do DCM, avalia que a presença do pré-candidato Geraldo Alckmin, ontem, no programa Roda Vida da TV Cultura, é mais uma comprovação de que a linguagem e a própria TV, supostamente educativa, morreram. Nogueira afirma que a condescendência da bancada de entrevistadores na blindagem ao tucano fez lembrar a truculência da bancada selecionada para fustigar Manuela d'Ávila, há pouco mais de um mês no mesmo programa, pretensamente democrático e plural.

Leia trechos da pensata de Kiko Nogueira, para o DCM:

"O Roda Viva de Alckmin começou mal e terminou pior ainda. De cara, o apresentador Ricardo Lessa deu a chamada levantada de bola: “Qual marca o senhor gostaria de deixar se for eleito?” Ah, mas que beleza. A bancada de amigos ficou no tom civilizado, republicano, gente fina — o oposto da saraivada de cafajestagem da noite com Manuela D’Ávila. Manuela teve de enfrentar a burrice e a truculência de um assessor de Bolsonaro, sem contar cobranças pelos crimes de Stalin.

Geraldo passeou entre jornalistas do Estadão, da Veja, da Folha, do Globo. Muita especulação inútil sobre o centrão e a escolha de Josué Alencar para vice. Nem uma mísera pergunta sobre o metrô. Nada sobre o escândalo da merenda. Nada sobre a Sabesp. Nada sobre os pepinos de Serra. Não houve uma mísera interrupção. Manuela foi atropelada 62 vezes, quase oito vezes mais que Ciro Gomes."

Leia mais aqui. 

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247