Kiko Nogueira: Roda Viva quis fazer inquisição contra Glenn

"Entra apresentador, sai apresentador e o Roda Viva continua, na essência, a mesma sopa", afirma Kiko Nogueira, no DCM. "Dependendo do entrevistado, não sendo amigo da casa, o clima é de inquisição. No caso de Glenn Greenwald, convidado desta segunda, dia 2, a missão da bancada era mostrar seus métodos criminosos à frente do escândalo da Vaza Jato"

(Foto: Reprodução)

247 - "Entra apresentador, sai apresentador e o Roda Viva continua, na essência, a mesma sopa", escreve o jornalista Kiko Nogueira, no Diario do Centro do Mundo. "Dependendo do entrevistado, não sendo amigo da casa, o clima é de inquisição. No caso de Glenn Greenwald, convidado desta segunda, dia 2, a missão da bancada era mostrar seus métodos criminosos à frente do escândalo da Vaza Jato". 

Segundo Nogueira, "num fórum de jornalistas, é espantoso que NINGUÉM tenha tido curiosidade sobre as ilegalidades de Dallagnoll e Moro". "Ninguém. Um show de despreparo de um bando de gente repetindo a mesma papagaiada de Deltan e seus cometas sobre os hackers de Araraquara", continua. "Se serviu para alguma coisa, o Roda Viva expôs o baixo nível do jornalismo corporativo brasileiro". 

Leia a íntegra no DCM

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247