Kotscho vê Dilma perdendo apoio do PMDB e PT

Com a negativa do PMDB em indicar nomes para a reforma ministerial e a crítica do PT às medidas econômicas do governo, a presidente Dilma Rousseff pode ver se perder o apoio das duas principais legendas de sua base de sustentação; avaliação é do jornalista Ricardo Kotscho; "Para onde se olha, o apoio ao governo Dilma está se esvaindo rapidamente e crescendo a onda de protestos", diz Kostcho; para ele, o vice-presidente Michel Temer e os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB), e da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), simplesmente estão "tirando o time de campo"

Com a negativa do PMDB em indicar nomes para a reforma ministerial e a crítica do PT às medidas econômicas do governo, a presidente Dilma Rousseff pode ver se perder o apoio das duas principais legendas de sua base de sustentação; avaliação é do jornalista Ricardo Kotscho; "Para onde se olha, o apoio ao governo Dilma está se esvaindo rapidamente e crescendo a onda de protestos", diz Kostcho; para ele, o vice-presidente Michel Temer e os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB), e da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), simplesmente estão "tirando o time de campo"
Com a negativa do PMDB em indicar nomes para a reforma ministerial e a crítica do PT às medidas econômicas do governo, a presidente Dilma Rousseff pode ver se perder o apoio das duas principais legendas de sua base de sustentação; avaliação é do jornalista Ricardo Kotscho; "Para onde se olha, o apoio ao governo Dilma está se esvaindo rapidamente e crescendo a onda de protestos", diz Kostcho; para ele, o vice-presidente Michel Temer e os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB), e da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), simplesmente estão "tirando o time de campo" (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em post nesta terça-feira, 22,o jornalista Ricardo Kotscho afirmou que a presidente Dilma Rousseff pode ficar sem o apoio das principais legendas de sustentação: PT e PMDB. 

"De um lado, o mesmo PMDB, que passou o ano todo defendendo a redução do número de ministérios na Esplanada, na hora de discutir os nomes de quem fica e quem sai resolveu lavar as mãos e deixou a presidente Dilma Rousseff falando sozinha. De outro, o PT reuniu pela primeira vez seu Conselho Consultivo, montado a pedido do ex-presidente Lula, em que foram feitas severas críticas às medidas anunciadas no pacote fiscal apresentado pelo governo na semana passada", afirma.

Segundo o jornalista, o vice-presidente Michel Temer e os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB), e da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), simplesmente se recusaram a discutir nomes para a nova equipe ministerial. "Estão tirando o time de campo e já não se sabe ao certo quem, afinal, cuida da articulação política do governo com o Congresso e a sociedade, depois que o vice Michel Temer devolveu a missão a Dilma", afirma.

"Para onde se olha, o apoio ao governo Dilma está se esvaindo rapidamente e crescendo a onda de protestos", diz Kostcho. 

Leia a íntegra do post de Ricardo Kotscho.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247