Lauro Jardim agora ataca advogado do filho de Lula

Depois da notícia de que será processado por sua coluna de estreia no jornal O Globo, em que atacou, sem provas, Fábio Luis Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula, o jornalista Lauro Jardim, se voltou contra um de seus advogados; em nova nota, acusou Roberto Teixeira de tramar a queda do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo; "No dia 23-10-2015 subscrevi, junto com profissionais do escritório, ação cível e criminal contra Lauro Jardim por ter publicado notícias falsas envolvendo o meu cliente Fábio Luís Lula da Silva. Só posso avaliar como típico exemplo de 'jornalismo' de retaliação o atual episódio", disse, em nota, Roberto Teixeira

Lauro Jardim agora ataca advogado do filho de Lula
Lauro Jardim agora ataca advogado do filho de Lula
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Depois da notícia de que será processado por sua coluna de estreia no jornal O Globo, em que atacou, sem provas, Fábio Luis Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula (confira aqui), o jornalista Lauro Jardim, se voltou contra Roberto Teixeira, um de seus advogados.

Em nova nota, ele o acusou de tramar a queda do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Confira abaixo:
 
 
Em resposta, Roberto Teixeira divulgou a nota abaixo:

A VERDADE DOS FATOS
 
Nada como juntar partes de episódios reais com invencionices para tentar atribuir veracidade a uma leviandade. Foi o que fez Lauro Jardim na nota Antipatia de Lula por José Eduardo Cardozo é antiga (24.10.2015). Nunca participei de qualquer reunião com o objetivo de “tirar Cardozo do Ministério da Justiça”. Essa informação é falsa.
 
É igualmente pura maledicência qualificar de “primeiro escândalo de corrupção do PT”, como faz Lauro Jardim, o relato da investigação a que foi submetida a CPEM - Consultoria para Empresas e Municípios – e da qual, isso o jornalista esqueceu de mencionar, saiu a empresa com o atestado de total idoneidade.
 
Os fatos falam por si:
 
1. O resultado do mencionado relatório, elaborado pela Comissão de Investigação, foi rejeitado pela Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores (PT);

2. Fui absolvido pela Executiva, que, no entanto, acabou por expulsar o delator, Paulo de Tarso Venceslau;

3. Esse mesmo relatório foi mandado para o Ministério Público Estadual pelo próprio PT e o MP conclui não haver qualquer elemento para levar adiante a investigação, dada a fragilidade das acusações;

4. Mesmo em relação à CPEM, o Judiciário julgou improcedentes as acusações, reconhecendo a idoneidade das contratações e dos serviços prestados pela consultoria. Importante frisar que jamais tive qualquer participação ou relação com a referida empresa.
 
Lauro Jardim faltou mais uma vez com a verdade. Reuniu fragmentos de fatos passados, para forjar uma realidade sórdida com a única finalidade de denegrir minha honra e reputação. Desafio o jornalista a dar qualquer detalhe a respeito de articulação minha – seja a mencionada reunião ou outro movimento – com o objetivo citado. A propósito, no dia 23-10-2015 subscrevi, junto com profissionais do escritório, ação cível e criminal contra Lauro Jardim por ter publicado notícias falsas envolvendo o meu cliente Fábio Luís Lula da Silva. Só posso avaliar como típico exemplo de "jornalismo" de retaliação o atual episódio.
 
​​​Roberto Teixeira

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247