Luana Piovani diz que 'dá trabalho' ser cidadã no Brasil e que não tem mais tempo para postar foto de biquíni

A reação em peso nas redes sociais foi de crítica irônica à "opressão" sofrida pela ex-modelo, de seu lugar de branca e privilegiada socialmente (vídeo)

Luana Piovani
Luana Piovani (Foto: Reprodução/Youtube)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Crítica do PT e presente em manifestações a favor do golpe e da Lava Jato, a ex-modelo e apresentadora Luana Piovani, atualmente vivendo em Portugal, voltou a movimentar as redes sociais nesta segunda-feira 30 ao declarar o que considera ser um problema: segundo ela, "dá muito trabalho" ser cidadã no Brasil. Sobre ser cidadã Luana citou participações em algumas manifestações e postagens políticas nas redes sociais durante os governos do PT, o que lhe tirava tempo para postar imagens suas de biquíni.

“Me dava um trabalho ser cidadã no Brasil. Eu queria postar foto dos meus filhos, eu tinha que postar negócio da Amazônia, eu tinha que postar os golfinhos, era o tubarão, era o Leonardo Di Caprio, era o 342, era a Paula Lavigne dentro do nosso grupo falando não sei o que. […] Aí tem que ir para Brasília, aí vamos no não sei o que do gay, da manifestação a favor do glsptxz. Meu deus, dá muito trabalho, não estou conseguindo postar foto de eu bonita de biquíni! Tem quatro coisas políticas para fazer, tem cinco pessoas me pedindo coisas absolutamente importantes e relevantes e eu preciso postar”, desabafou.

Na entrevista ao portal Universal, do UOL, ela diz ainda que, em Portugal, país governado por um presidente de esquerda, o socialista António Costa, conseguiu se desligar completamente do Brasil e declarou acreditar que o país onde nasceu "acabou". “O Brasil é só tristeza, eu lamento sem fim. A vontade que eu tinha era de comprar todas essas casas ao me redor e encher com as pessoas incríveis que eu conheço e moram no Brasil. […] O Brasil acabou, o Brasil vive uma guerra civil não-assumida. Os nossos números são de guerra. Faixa de Gaza, Síria”, declarou.

A reação nas redes sociais foi de crítica irônica à "opressão", de seu lugar de branca e privilegiada socialmente, vivida pela ex-modelo. Confira algumas:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email