Mello Franco: caso do tucano parece o mais grave

Colunista Bernardo Mello Franco cita as delações de Sérgio Machado contra caciques do PMDB, incluindo o presidente interino Michel Temer, mas afirma que o caso tucano é o mais grave: “Ao acusar Aécio Neves de financiar cerca de 50 deputados para comandar a Câmara, Machado sugere que Eduardo Cunha não inventou nada —foi apenas um aprendiz”

Colunista Bernardo Mello Franco cita as delações de Sérgio Machado contra caciques do PMDB, incluindo o presidente interino Michel Temer, mas afirma que o caso tucano é o mais grave: “Ao acusar Aécio Neves de financiar cerca de 50 deputados para comandar a Câmara, Machado sugere que Eduardo Cunha não inventou nada —foi apenas um aprendiz”
Colunista Bernardo Mello Franco cita as delações de Sérgio Machado contra caciques do PMDB, incluindo o presidente interino Michel Temer, mas afirma que o caso tucano é o mais grave: “Ao acusar Aécio Neves de financiar cerca de 50 deputados para comandar a Câmara, Machado sugere que Eduardo Cunha não inventou nada —foi apenas um aprendiz” (Foto: Roberta Namour)

247 - O colunista Bernardo Mello Franco cita as delações de Sérgio Machado contra caciques do PMDB, incluindo o presidente interino Michel Temer, mas afirma que o caso tucano é o mais grave:

“Os presidentes do PSDB, Aécio Neves, e do DEM, José Agripino, também entraram na mira. Os dois ajudaram a articular o impeachment e participaram da montagem do ministério de Temer. O caso do tucano parece o mais grave”, diz.

“Ao acusar Aécio Neves de financiar cerca de 50 deputados para comandar a Câmara, Machado sugere que Eduardo Cunha não inventou nada —foi apenas um aprendiz”, conclui (leia aqui).

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247