Mello Franco: Dallagnol foi salvo pela prescrição, que ele já chamou de "palavrão jurídico"

O jornalista Bernardo Mello Franco observa que o coordenador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, se livrou de uma punição do CNMP no caso do power point contra o ex-presidente Lula devido à prescrição, que já foi classificada por ele como "um palavrão jurídico"

Bernardo Mello Franco e Deltan Dallagnol
Bernardo Mello Franco e Deltan Dallagnol (Foto: Reprodução | ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Bernardo Mello Franco destaca que o coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, já afirmou que  “uma das razões centrais da impunidade é aquilo que a gente chama de prescrição”. Para ele, Deltan se livrou de uma punição no caso do power point em o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi apontado – sem provas - como o líder de uma organização criminosa pela razão que ele criticou no passado. 

Mello Franco relembra que em 2016, Dallagnol afirmou que “prescrição é um palavrão jurídico que significa o cancelamento do caso criminal porque ele demorou muito tempo na Justiça. “Ontem o Conselho Nacional do Ministério Público julgou uma reclamação contra Deltan. O motivo foi o PowerPoint em que ele apontou o ex-presidente Lula como “comandante máximo” dos desvios na Petrobras”, diz o jornalista.

“A reclamação se arrastou no CNMP por quatro anos. Com recursos e chicanas que fariam inveja aos réus da Lava-Jato, o procurador conseguiu adiar 42 vezes o próprio julgamento. Ontem seu advogado convenceu o conselho de que o episódio já estava prescrito. Deltan foi salvo pelo “palavrão jurídico” que combatia”, afirma.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247