Merval, da Globo, diz que clã Bolsonaro tem viés autoritário e defende cassação de Carluxo

O colunista Merval Pereira, do Globo, que é quem melhor expressa a posição da família Marinho, publica nesta quarta-feira um artigo sobre as "bravatas autoritárias" da família Bolsonaro – a mais recente a do vereador Carlos, que disse não ser possível promover mudanças rápidas numa democracia. "Os Bolsonaro têm uma visão de democracia muito relativa. Em qualquer estado do Brasil, um vereador que escrevesse o que ele escreveu, estaria sendo passível de cassação diante de uma comissão de ética", diz ele

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O jornalista Merval Pereira, principal colunista político do jornal O Globo, grupo de comunicação que foi decisivo na construção do golpe de 2016, que abriu as portas para a ascensão do neofascismo no Brasil, agora se queixa das tentações autoritárias do clã Bolsonaro. "Não, não é coincidência, nem má interpretação. A família Bolsonaro vem, há anos, dando sinais de que não considera a democracia um valor em si mesma", escreve ele.

"A família Bolsonaro costuma fazer comentários que soam como uma ameaça à democracia. O deputado federal Eduardo Bolsonaro, que quer ser embaixador do Brasil nos Estados Unidos, já disse que para fechar o STF basta um soldado e um cabo", afirma ainda o jornalista.

Em outro trecho, ele chega a sugerir a cassação do vereador Carlos Bolsonaro, conhecido como Carluxo. "Os Bolsonaro têm uma visão de democracia muito relativa. Em qualquer estado do Brasil, um vereador que escrevesse o que ele escreveu, estaria sendo passível de cassação diante de uma comissão de ética. Não se comportou como exige o decoro parlamentar", afirma. "Essa de Carlos Bolsonaro, como as anteriores de seu irmão Eduardo, e do pai, são bravatas típicas de políticos autoritários, e no momento não encontram eco na realidade. As instituições que o presidente ataca com frequência, Congresso, Judiciário, imprensa, reagem a cada tentativa de ultrapassar os limites democráticos. Não se pode normalizar uma declaração dessas", conclui.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247