Âncora da Globo aponta crime de Moro na perseguição contra Greenwald

Jornalista da GloboNews, Monica Waldvogel lembrou que o Senado aprovou um dispositivo contra o abuso de autoridade ao compartilhar uma notícia de que a Polícia Federal, comandada por Moro, estaria investigando a vida financeira do jornalista do Intercept

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Fórum - Durante a audiência na Câmara em que o ministro da Justiça, Sérgio Moro, é sabatinado sobre as conversas com procuradores da Lava Jato divulgadas pelo site The Intercept Brasil, a jornalista Mônica Waldvogel, da GloboNews, sugeriu, via Twitter, que o ex-juiz federal comete crime de abuso de autoridade ao colocar a Polícia Federal na “cola” de Glenn Greenwald, jornalista responsável pelo site que deu luz ao comportamento de Moro enquanto juiz.

“Não aprovaram um dispositivo de abuso de autoridade?”, questionou Waldvogel ao compartilhar uma notícia sobre uma suposta investigação da vida financeira de Greenwald que a PF estaria encampando. A Fórum falou com a assessoria de comunicação do Departamento de Polícia Federal, que disse que se houver investigação, elas são sigilosas e não poderiam ser confirmadas. A PF, por sua vez, está subordinada ao Ministério da Justiça, comandado por Moro.

A jornalista, em seu tuíte, se referiu ao dispositivo aprovado pelo Seando na semana passada aprovado pelo Senado na semana passadacontra abuso de autoridade de juízes e promotores. A proposta, depois de modificada, foi votada no mesmo bojo das “10 medidas contra a corrupção”, pacote defendido pelo próprio Moro.

Confira a íntegra da reportagem na Revista Fórum.


O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email