Moro classifica como 'incidente' fuzilamento de inocente no Rio

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, foi entrevistado nesta terça-feira no programa pelo Conversa com Bial; considerou que foi um 'incidente' o fuzilamento por soldados do Exército da família do músico Evaldo do Santos Rosa no último domingo, em Guadalupe, no Rio; "Foi um incidente bastante trágico. O que eu vi, porém, é que o Exército já tomou as providências cabíveis", afirmou

Moro classifica como 'incidente' fuzilamento de inocente no Rio
Moro classifica como 'incidente' fuzilamento de inocente no Rio

247 - O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, foi entrevistado nesta terça-feira (9) no programa pelo Conversa com Bial, quando considerou que foi um 'incidente' o fuzilamento de inocente no Rio de Janeiro e insinuou defender o Exército -foram militares que fuzilaram a família no último domingo, em Guadalupe, no Rio. "Foi um incidente bastante trágico. O que eu vi, porém, é que o Exército já tomou as providências cabíveis", afirmou.

No domingo (6), um grupo de militares do Exército Brasileiro dispararam 80 tiros contra o automóvel de uma família, matando o músico Evaldo do Santos Rosa, próximo à Vila Militar no bairro de Guadalupe, na zona Oeste no Rio.

Moro falou sobre o crime cometido no último domingo (6), quando militares do Exército Brasileiro dispararam 80 tiros contra o automóvel de uma família, matando o músico Evaldo do Santos Rosa, Moro afirmou que o episódio não tem qualquer relação com o que se coloca no chamado projeto anticrime, ou seja, o crime não decorreu de "escusável medo, surpresa ou violenta emoção".

"Pelo que eu entendi no episódio, e mais uma vez destacando que ele está em apuração pelo Exército, aparentemente não teria havido sequer uma situação de legítima defesa", afirmou o ministro.

Com informações do Globo.com

Ao vivo na TV 247 Youtube 247