Morre Reali Jr.

O Brasil perde um de seus mais competentes jornalistas

Siga o Brasil 247 no Google News

Morreu, neste sábado, o jornalista Reali Jr, um dos profissionais mais queridos e admirados da imprensa brasileira, após dois anos de luta contra um câncer. Correspondente em Paris do jornal Estado de S. Paulo e da rádio Jovem Pan, ele vivia na França desde 1972 e fez da sua residência uma espécie de embaixada informal do Brasil, de onde alimentava notícias contra a ditadura. Sua filha, a modelo Cristina Reali, é um dos nomes mais importantes da moda e do cinema na França.

Reali Jr começou a trabalhar como repórter da Rádio Jovem Pan aos 16 anos de idade. O adolescente que entrava no gramado para entrevistar os jogadores de futebol com um enorme gravador nas mãos ganhou o apelido de Repórter Canarinho que logo lhe deu projeção Brasil afora. Nascido em 1941 em Bauru, onde passou os primeiros anos da infância, sempre manteve elos com a cidade natal. Foi ali que conheceu Pelé, o menino Édson Arantes do Nascimento que se destacava no Baquinho, time infantil do Bauru Atlético Cube. Reali era filho de pai de raízes italianas e de mãe descendente de baianos, família de costumes rurais na fazenda Tibiriçá, sustento da família.

Ainda criança, Reali mudou-se para São Paulo, na Vila Nova Conceição, então um bairro de chácaras de legumes e flores. "Minha turma era da pá virada", contou o jornalista em depoimento a Gianni Carta em gravação para o livro Às Margens do Sena (Ediouro, 2007), lembrando a disputa da criançada na caça aos balões que caíam num eucaliptal da Avenida Indianópolis.

Mais tarde, ao conseguir o emprego na Jovem Pan, então Rádio Pan-Americana, já pensava em se casar com Amélia, que começou a namorar quando tinha 14, e ela, 13. Casaram-se em janeiro de 1961 e já tinham suas quatro filhas - Luciana, Adriana, Cristiana e Mariana - quando se mudaram para a França.

Ele era repórter de rádio, mas trabalhou também em jornais e participou de programas de televisão. Seu primeiro jornal foi o carioca Correio da Manhã, sucursal de São Paulo. Depois foi para a sucursal de O Globo e escreveu para os Diários Associados, sem nunca abandonar a Jovem Pan. Na madrugada de 1º de abril de 1964, no golpe militar, estava ao lado do governador Ademar de Barros no Palácio dos Campos Elísios – um dos poucos repórteres que conseguiram entrar. Nos anos seguintes acompanhou todos os principais fatos políticos do País, ao mesmo tempo em que cobria outros assuntos.

Paris

"Sempre escrevi sobre qualquer assunto, minha formação de jornalista autodidata, construída pedrinha sobre pedrinha, me dá essa possibilidade", gravou no depoimento a Gianni Carta. Suspeito de ser comunista, o que sempre negou, ficou na mira da repressão e por isso achou melhor ir para o exterior. Um ano depois que estava no país, foi contratado pelo jornal O Estado de S. Paulo, pouco depois da queda de um Boeing da Varig nas imediações do aeroporto de Orly.

Como correspondente 24 horas à disposição da Rádio Jovem Pan e do jornal O Estado de S. Paulo, era Reali quem mais viajava, tanto pelo interior da França como para outros países. Numa época de telecomunicações ainda precárias, transmitia o material por cabines públicas de telefone e brigava com os colegas por um terminal de telex. Não havia internet, as ligações telefônicas com o Brasil dependiam de tempo e sorte. Como também não existiam cartões de crédito, o repórter era obrigado a carregar dólares no bolso. Valeu, Reali, pelo exemplo como jornalista.

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email