Muitíssimo obrigado, 2012! Seja bem-vindo, 2013!

Para quem se dedica à notícia 24 horas por dia, sete dias por semana, 2012 foi inesquecível: o julgamento do mensalão, a CPI do Cachoeira, a cassação do ex-senador Demóstenes, a crítica permanente da mídia e uma eleição que coroou a chegada de uma nova geração ao poder. Foi também o ano em que, de Berlim, a cidade que derrubou o muro, fizemos uma reforma que tornou o 247 mais ágil e agradável. Que venha 2013, tão quente como 2012. Estaremos aqui, sem descanso, todos os dias, ao lado dos nossos leitores, que se tornaram também protagonistas e co-autores de um novo modo de fazer jornalismo

Muitíssimo obrigado, 2012! Seja bem-vindo, 2013!
Muitíssimo obrigado, 2012! Seja bem-vindo, 2013!
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ano de 2012, definitivamente, deixa saudades. Quem de nós, jornalistas, blogueiros, leitores, comentaristas e ativistas digitais, seria capaz de imaginar um período tão repleto de acontecimentos, disputas e transformações? De uma só vez, o Brasil foi chacoalhado pelo julgamento do mensalão (melhor dizendo, da Ação Penal 470), pela CPI do caso Cachoeira, pela cassação do antigo "mosqueteiro da ética" Demóstenes Torres e por uma eleição municipal que quase foi pautada por um escândalo de sete anos atrás. No fim, cumpriu-se uma profecia escrita nas páginas do 247. O PT seria "condenado" à prisão e também premiado com a maior prefeitura do País. Nesse quadro, quem são os ganhadores e perdedores de 2012? A resposta é bem menos simples do que parece.

Para o 247, graças a vocês, leitores e leitoras, 2012 foi também o ano da consolidação como um dos veículos de comunicação mais ágeis e participativos da blogosfera. Em média, cerca de 2 mil comentários têm sido postados diariamente em nossas páginas. O leitor vem – e retorna – porque sabe que, não importa o dia, encontrará aqui o que de mais relevante acontece no Brasil e no mundo. E porque também recebe informação publicada em primeira mão, de forma corajosa e criativa. No 247, como o leitor já percebeu, não existem tabus – e o que acontece nos bastidores dos meios de comunicação também é objeto de nosso radar permanente.

O ano que passou nos trouxe grandes furos de reportagem. Publicamos a íntegra do relatório da Operação Monte Carlo, noticiamos a trama dos grandes barões midiáticos para conter o ímpeto da CPI do Cachoeira e antecipamos ações da Polícia Federal, como a  Durkheim. Além disso, sempre com contundência, mas também bom humor, acompanhamos cada passo do julgamento do mensalão e ds eleições municipais. E em meio a um ambiente da altíssima tensão, mantivemos a pluralidade e o espaço aberto para comentaristas de todas as tendências. Além disso, passamos a contar com o auxílio luxuoso de vários novos colunistas. 

2013, pelo que andam dizendo por aí, será quente. Quentíssimo. De acordo com nossas previsões, será um ano de intensificação da caçada ao ex-presidente Lula, de partidarização crescente da grande imprensa brasileira e também do aprofundamento das transformações que ocorrem na mídia global. Vivemos várias mudanças simultâneas: do papel para o online, do conteúdo pago para o gratuito, do "copyright" para o "copyleft" e do modelo vertical de jornalismo (eu escrevo, você lê) para o modo horizontal, onde todos participam.

Tomara que a previsão se concretize. Que 2013 venha quente, porque estamos fervendo.

E muito obrigado a todos vocês. Feliz ano novo a todos e a todas!!!!!

Abaixo, algumas capas do 247 para relembrar o que aconteceu no ano que fica para trás:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email