Noblat: delação deixa mal governo e oposição

"A oposição não terá a chance de partir para cima do governo com gosto de sangue na boca porque dois dos seus membros mais ilustres foram citados por Pessoa como tendo sido contemplados com dinheiro de caixa dois", escreve o colunista Ricardo Noblat, citando o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) e o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), ex-relator do processo de cassação de José Dirceu

"A oposição não terá a chance de partir para cima do governo com gosto de sangue na boca porque dois dos seus membros mais ilustres foram citados por Pessoa como tendo sido contemplados com dinheiro de caixa dois", escreve o colunista Ricardo Noblat, citando o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) e o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), ex-relator do processo de cassação de José Dirceu
"A oposição não terá a chance de partir para cima do governo com gosto de sangue na boca porque dois dos seus membros mais ilustres foram citados por Pessoa como tendo sido contemplados com dinheiro de caixa dois", escreve o colunista Ricardo Noblat, citando o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) e o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), ex-relator do processo de cassação de José Dirceu (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A delação de Ricardo Pessoa, da UTC, em delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato "deixa mal governo e oposição", escreve Ricardo Noblat em sua coluna neste sábado 27. "Governo e oposição foram dormir, ontem, sob o peso das primeiras informações vazadas pela imprensa", diz ele.

Segundo Noblat, "a oposição não terá a chance de partir para cima do governo com gosto de sangue na boca porque dois dos seus membros mais ilustres foram citados por Pessoa como tendo sido contemplados com dinheiro de caixa dois". O jornalista cita o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) e o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), ex-relator do processo de cassação de José Dirceu.

O colunista acrescenta que a avaliação de gente que cerca Dilma no Palácio do Planalto "é que a Operação Lava-Jato tomou uma dimensão em que os responsáveis por ela perderam o controle. Quer dizer: se não tivessem perdido o controle, ela não alcançaria a dimensão que alcançou. Por dimensão, entenda-se, a suspeição levantada contra tantas e tão importantes pessoas".

Leia aqui a íntegra.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email