NY Times: Jair Bolsonaro coloca a saúde dos brasileiros e a democracia em risco

Em artigo no New York Times desta quarta-feira (25), o diretor da Sciences Po, de Paris, Gaspard Estrada, diz que Jair Bolsonaro poderá aproveitar a crise gerada pela pandemia de coronavírus para implementar uma agenda autoritária

Jair Bolsonaro em pronunciamento em cadeia e rádio e TV
Jair Bolsonaro em pronunciamento em cadeia e rádio e TV (Foto: Reprodução/Twitter)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornal The New York Times publicou nesta quarta-feira, 25, artigo com duras críticas à posição de Jair Bolsonaro perante a pandemia do novo coronavírus. 

No texto, o diretor executivo do Observatório Político para a América Latina e o Caribe (OPALC) da Sciences Po, em Paris, Gaspard Estrada, avalia que Bolsonaro não assumiu o papel de chefe de Estado em uma emergência e, em vez de dialogar com a oposição para enfrentar a crise da saúde juntos, ele continua a atacar instituições democráticas brasileiras. 

"O fator preocupante é que, se ele perder o apoio da maioria dos brasileiros e dos setores que o apoiam, Bolsonaro poderá ficar tentado a aproveitar essa crise para implementar uma agenda autoritária que rodeia a democracia brasileira. E isso parece que já começou: 23 de março de Bolsonaro anulou a lei de acesso à informação pública por decreto", escreve Estrada. 

"Se ele quisesse garantir seu respeito pelas instituições democráticas, Jair deveria romper com Bolsonaro. Em vez de ouvir o clã da família e o chamado 'gabinete do ódio', que fizeram do Twitter a principal ferramenta de direção do governo, o presidente brasileiro deveria dar seu total apoio aos cientistas para enfrentar o COVID-19. Além disso, teria que deixar de lado a política que favorece a economia sobre a saúde a todo custo e financiar programas sociais de longo alcance para ajudar os milhões de trabalhadores formais e informais que serão afetados pela pandemia", avalia o cientista político. 

Leia o artigo na íntegra no New York Times.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247