O caso do fã de Bolsonaro que praticou racismo contra Miss Piauí e é membro de grupo extremista dos EUA

Luiz Hiram Fonsi Galdino Torres, personalidade do Twitter sob o nick de @estadohiramico, recentemente ele foi destacado em uma matéria da Veja sobre o racismo contra a Miss Brasil Monalysa Alcântara; há fotos dele junto dos irmãos Carlos e Eduardo Bolsonaro e também dos funcionários do Clube 38; reportagem do DCM

Luiz Hiram Fonsi Galdino Torres, personalidade do Twitter sob o nick de @estadohiramico, recentemente ele foi destacado em uma matéria da Veja sobre o racismo contra a Miss Brasil Monalysa Alcântara; há fotos dele junto dos irmãos Carlos e Eduardo Bolsonaro e também dos funcionários do Clube 38; reportagem do DCM
Luiz Hiram Fonsi Galdino Torres, personalidade do Twitter sob o nick de @estadohiramico, recentemente ele foi destacado em uma matéria da Veja sobre o racismo contra a Miss Brasil Monalysa Alcântara; há fotos dele junto dos irmãos Carlos e Eduardo Bolsonaro e também dos funcionários do Clube 38; reportagem do DCM (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Do Diário do Centro do Mundo - Luiz Hiram Fonsi Galdino Torres, personalidade do Twitter sob o nick de @estadohiramico, recentemente ele foi destacado em uma matéria da Veja sobre o racismo contra a Miss Brasil Monalysa Alcântara.

Hiram Galdino foi comissário de bordo na TAM, de onde foi demitido por comentários contra nordestinos em seu Facebook. Segundo Hiram, José Dirceu "era acionista e tinha cadeira na sala (sic) da TAM".

Há fotos dele junto dos irmãos Carlos e Eduardo Bolsonaro e também dos funcionários do Clube 38.

Leia aqui a íntegra.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247