O ego gigantesco do milionário Edir Macedo

O problema de Edir Macedo é que a prosperidade infinita e que não paga impostos faz que esses senhores se tornem seres acima do bem e do mal

Na última semana, o cabeça da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) Edir Macedo Bezerra, publicou um artigo no mínimo ao meu ver infeliz. O mesmo intitulado:'Homem de Deus Quanto à Idade e Raça', é um texto que chega a ser ofensivo, bobo e porque não dizer petulante. Vamos por partes. Já no primeiro parágrafo o mandatário da terceira maior rede de televisão do Brasil (Record) diz: "O rapaz que deseja fazer a obra de Deus não deve se casar com uma moça que tenha idade superior à dele, salvo algumas exceções, como por exemplo aquele que é suficientemente maduro e experiente na vida para não se deixar influenciar por ela. Mesmo assim, a diferença não deve ultrapassar dois anos". Macedo primeiro enxerga a mulher como um ser menor do que o homem, não sendo em nada diferente como por exemplo, de alguns líderes de religiões fundamentalistas, que ele mesmo critica em seus cultos, e que acham que o sexo feminino, é simplesmente um pano de chão, ou um mero "serzinho" reprodutor. E outra quem é o senhor Macedo para mandar no coração de alguém? Nós nos apaixonamos por quem o coração bate mais forte e ponto final, humanos são assim. Tirando casos extremos como de um senhor de 80 anos, que se acha um gatão com uma menina de 20 (nesse "amor" sinceramente eu não acredito), é o coração quem manda, e não um pregador que usa as pessoas como um mero boneco de fantoche, achando que elas não sabem pensar e discernir no seu agir.

Ele também afirma que a mulher envelhece primeiro que o homem e assim dá motivos para infidelidades conjugais. Outra falácia e um absurdo. A pessoa trai porque quer trair, e não por culpa exclusiva da mulher. E outra, os dados não mostram isso. E se você não quer ter o trabalho de ir pesquisar, é só ver o casal Edir Macedo e Ester Bezerra, o líder da IURD está um caco perto da sua senhora.

Outra bobagem dita pelo sabichão neopentecostal, e que mais causou revolta em pessoas evangélicas e não evangélicas é essa: " Não haveria nenhum problema para o homem de Deus se casar com uma mulher de raça diferente da dele, não fossem os problemas da discriminação que seus filhos poderão enfrentar nas sociedades racistas deste mundo louco. É preciso que ambos estejam conscientes quanto aos riscos de traumas ou complexos que as crianças poderão absorver durante os períodos escolares, e, a partir daí, carregarem-nos por toda a vida". Pelo que eu entendi, a ordem na IURD atualmente é uma só, ou seja, se você é branco se case com uma branca; e se você é negro se case com uma negra. Isso também não seria uma forma de segregação racial como o famoso Apartheid sul-africano?

Caros leitores, muitas pessoas detestam a IURD e seus cupinchas. Primeiro: pela soma fabulosa de dinheiro que rola por lá. Até aí nem falo nada, porque se fôssemos a fundo, poucas igrejas iriam se salvar e não só as evangélicas, já que o expediente delas para arrecadação só muda de nome (ou você já não ouviu por aí expressões como: "seja um patrocinador" ou "seja um parceiro" dessa nossa obra) nesse quesito dá dinheiro quem quer, claro você pode sofrer uma ação psicológica e ser achacado pela "Teologia da Prosperidade" que é pregada em seus luxuosos templos, mas ninguém colocará uma arma na sua cabeça para dar o que não tem, isso é fato. Segundo: pela vida nababesca do dono da Rede Record, vista a sua espetacular mansão de 6 milhões de reais em Campos do Jordão que não deve em nada às moradas, de grandes bilionários desse planeta, e em alguns casos até as superaram (só para comparar, Warren Buffett terceira maior fortuna do mundo, mora em uma casa de 30 mil dólares em Omaha, sua cidade natal). Terceiro: pela arrogância de Macedo, que se acha o único "sacerdote" a ter autoridade máxima para falar de Deus aqui na Terra, ditando o que deve ser feito ou não pela humanidade pecadora, como se as pessoas não tivessem cérebro e livre-arbítrio. Geralmente os membros da IURD assim como seus pastores e bispos, não se misturam com outras igrejas do meio pentecostal e neopentecostal (podem perguntar para qualquer integrante de outra denominação se o que falo é besteira). As famosas visitas de uma igreja para outra, que ocorrem em outras denominações do meio, são proibidas pelos mandatários da Universal. Nesse detalhe, eles já pecam naquilo que Jesus Cristo deixou de mais sublime para o ser humano: a humildade. Na visão deles, é porque a fé de seus membros, pode ser contaminada por outras igrejas, onde o fogo do Espírito Santo não é tão "ardente" como o da IURD. Mas os mesmos já não estariam contaminados por textos e orientações tão cheias de superioridade, preconceito e prepotência do seu poderoso chefão?

O problema de Edir Macedo e de outros líderes religiosos, é que a prosperidade infinita e que não paga impostos ( já que igrejas estão fora dessa obrigação), oriunda de ofertas, dízimos e "desafios", faz que esses senhores se tornem seres acima do bem e do mal, com poder, glória e puxa-saquismo ilimitado. Criam partidos políticos como o PRB (braço político da Universal), controlam grandes veículos de comunicação de massa e de manobra, e até mesmo bancos (em breve teremos o Banco Universal). Todo mundo sabe que sem o dinheiro da IURD, a Record hoje seria inviável, já que são despejados cerca de 500 milhões de reais por ano na emissora. Mesmo assim o canal terá em 2012, um prejuízo de 100 milhões de reais, fora a briga interna que rola lá dentro, tendo de um lado do ringue,  Honorilton Gonçalves vice-presidente artístico, que defende uma programação comercial laica, e a manutenção da "guerra" contra a Globo, e a permanência da programação da Igreja Universal nas madrugadas. Do outro Romualdo Panceiro ( o "sucessor espiritual" de Macedo), que acha que a emissora deve ser um veículo da Igreja, e não o contrário, e que exige mais espaço para a pregação na grade de programação.

Já defendi Macedo em outro texto nesse espaço, mas agora ele foi longe demais. Também esperar o que, de um cidadão que fez a sua fama e fortuna em meio a polêmica, criticando tudo e todos. Desde as religiões afrodescentes as quais ele chama de seita, passando pela crítica da devassidão nas novelas globais ( e que ele faz igualzinho na sua emissora) e chegando em alguns cantores do meio gospel que ele acha que não tem nada de Deus em suas apresentações, como Ana Paula Valadão, a quem ele chamou de endemoniada. Apenas espero que ele não fale agora, se este texto chegar ao seu conhecimento, que ando possuído por um espírito malígno, e que preciso de uma oração forte ou de uma sessão do descarrego por escrever esse artigo cheio de "blasfêmia" contra o Espírito Santo, já que é sempre assim que ele fala para se defender dos seus erros, transgressões e besteiras ditas, escritas e sempre aceitas pelos seus fiéis seguidores quase que de uma forma cega.

Eder Fonseca é diretor do portal Panorama Mercantil

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247