Ombudsman detona Folha no caso 'Lulinha'

Para a jornalista Vera Guimarães Martins, "a Folha já foi além das tamancas na última sexta (16) ao cravar a manchete 'Delator diz ter repassado R$ 2 mi para nora de Lula'. Primeiro, porque não foi isso que Fernando Baiano disse"; segundo ela, trata-se do problema de "títulos 'esquentados': o impacto inicial não correspondido deixa a reportagem com cara de bala de festim"

www.brasil247.com - Para a jornalista Vera Guimarães Martins, "a Folha já foi além das tamancas na última sexta (16) ao cravar a manchete 'Delator diz ter repassado R$ 2 mi para nora de Lula'. Primeiro, porque não foi isso que Fernando Baiano disse"; segundo ela, trata-se do problema de "títulos 'esquentados': o impacto inicial não correspondido deixa a reportagem com cara de bala de festim"
Para a jornalista Vera Guimarães Martins, "a Folha já foi além das tamancas na última sexta (16) ao cravar a manchete 'Delator diz ter repassado R$ 2 mi para nora de Lula'. Primeiro, porque não foi isso que Fernando Baiano disse"; segundo ela, trata-se do problema de "títulos 'esquentados': o impacto inicial não correspondido deixa a reportagem com cara de bala de festim" (Foto: Aline Lima)


247 - A jornalista Vera Guimarães Martins, Ombudsman da Folha de S. Paulo, critica o jornal pela forma como deu a reportagem "Delator diz ter repassado R$ 2 mi para nora de Lula" na última sexta-feira 16.

"A Folha já foi além das tamancas na última sexta (16) ao cravar a manchete 'Delator diz ter repassado R$ 2 mi para nora de Lula'. Primeiro, porque não foi isso que Fernando Baiano disse", observa Vera.

"O lobista declarou ter repassado o dinheiro a José Carlos Bumlai, que teria pedido em nome de uma das noras de Lula. Só com isso, não é possível saber se o pecuarista foi pombo-correio ou se usou o valioso nome do amigo para inflar seu butim", explica.

Segundo ela, trata-se do problema de "títulos 'esquentados': o impacto inicial não correspondido deixa a reportagem com cara de bala de festim". Ela destaca o comentário de um leitor que chamou o episódio de "disse-me-disse".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O nome de Fabio Luis Lula da Silva, um dos filhos de Lula, foi citado pelo jornalista Lauro Jardim como beneficiário de R$ 2 milhões, segundo delação de Fernando Baiano. Os advogados de Fábio Luis prometeram acionar o jornalista e o jornal O Globo pelo fato de o nome do cliente não ter sido citado nenhuma vez na delação. Depois, Lauro Jardim mudou a versão, dizendo que os R$ 2 milhões teriam sido pagos à esposa de Fabio Luís (leia mais).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email