Para Tereza Cruvinel, mídia independente só é possível com o apoio da sociedade

Ex-presidente da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), a jornalista Tereza Cruvinel falou no Encontro de Assinantes do 247 em Brasília sobre a importância das mídias públicas e independentes. “Com a internet nós pudemos criar mídias independentes e contra-hegemônicas. Isso só é possível se a sociedade abraçar esses projetos”. Assista

Comissão Mista da Medida Provisória (CMMPV) nº 744 de 2016 (reestruturação da EBC), realiza audiência interativa com a participação de representantes do setor de comunicações.



À mesa, jornalista e ex-presidente do Conselho Curador da EBC, Rita Freire;
jornalista e Ex-Presidente da EBC, Tereza Cruvinel;



Foto: Roque de Sá/Agência Senado
Comissão Mista da Medida Provisória (CMMPV) nº 744 de 2016 (reestruturação da EBC), realiza audiência interativa com a participação de representantes do setor de comunicações. À mesa, jornalista e ex-presidente do Conselho Curador da EBC, Rita Freire; jornalista e Ex-Presidente da EBC, Tereza Cruvinel; Foto: Roque de Sá/Agência Senado (Foto: Roque de Sá)

247 - A jornalista e ex-presidente da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC) Tereza Cruvinel criticou, no Encontro de Assinantes do 247 em Brasília, o desmonte do governo de Jair Bolsonaro sobre a EBC e falou da importância de mídias públicas e independentes.

Ela contou sobre a criação da EBC, empresa pública de comunicação e iniciativa do governo Lula. “Nós fomos tentar implantar um sistema público de comunicação, previsto na Constituição desde 88, com 60 anos de atraso, diferente da Europa que, já no começo da televisão e do rádio tinha mídias públicas. Nós fomos fazer em 2007 com o Lula, quando ele encampou uma demanda da sociedade civil e disse: ‘se eu for eleito, vou implantar’. Foi onde nós fomos chamados para enfrentar essa batalha da TV pública e do sistema público, com 60 anos de atraso e com um orçamento absolutamente insuficiente. Dava para pagar a folha de pagamento, fazer alguns investimentos mas não dava para construir uma rede”.

Tereza ressaltou o desmonte da empresa pelo atual governo e afirmou que Bolsonaro quer doar a EBC aos amigos do setor privado. “Agora o Bolsonaro vai privatizar a EBC, ele fez um intervenção, juntou o canal público com o governamental, ele destroçou internamente a EBC e ele vai privatizá-la. Agora eu pergunto: por que a Record vai comprar a TV Brasil se ela já canais em Brasília, no Rio, em São Paulo, nos lugares onde a TV Brasil tem canal? O Bolsonaro quer doar à alguns amigos do setor privado o patrimônio da EBC, que é muito grande. A EBC tem um patrimônio imenso e que seria importante preservar, tanto os seus canais mas sobretudo preservar a estrutura tecnológica que nós construímos, que o Lula nos garantiu o orçamento anual e nós usamos o que pudemos para comprar equipamentos, modernizar e criar a infraestrutura. Ele quer doar tudo isso”.

A jornalista, por fim, falou da importância do apoio popular às mídias públicas e independentes. “Com a internet nós pudemos criar mídias independentes e contra-hegemônicas. Isso só é possível se a sociedade abraçar esses projetos. Uma das razões do fracasso da EBC foi porque a sociedade não se apropriou da TV Brasil como coisa sua. É importantíssimo que a sociedade se aproprie desses projetos, sejam independentes ou, no futuro, um sistema público de comunicação”.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247