Porta-voz informal do governo, Alexandre Garcia diz na CNN que Bolsonaro “é a prova da eficácia da cloroquina” contra Covid-19

Voz do bolsonarismo na imprensa, jornalista diz que repórteres repetem “chavão” ao dizer que o medicamento não tem comprovação científica. Ele também diz que “a Constituição está sendo triturada” com a decisão de Alexandre de Moraes contra bolsonaristas

Jornalista Alexandre Garcia comenta na CNN
Jornalista Alexandre Garcia comenta na CNN (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Porta-voz da ditadura militar, e hoje do bolsonarismo, na imprensa, o jornalista Alexandre Garcia estreou como comentarista na CNN na manhã desta segunda-feira (27) no programa “Liberdade de opinião”, onde disparou críticas ao Supremo Tribunal Federal e rasgou defesas ao governo federal.

No primeiro absurdo de sua fala, disse que Jair Bolsonaro “é a prova viva da eficácia da hidroxicloroquina” no tratamento contra a Covid-19 e que repórteres, quando falaram que a substância “não tem comprovação científica” para combater o coronavírus, apenas “repetem chavões”.

Ele também fez duras críticas ao inquérito das fake news que corre no Supremo, onde é relatado pelo ministro Alexandre de Moraes, que nas últimas semanas tomou decisões no sentido de suspender contas de bolsonaristas nas redes sociais que espalham mentiras e distorções para defender o governo.

“A Constituição está sendo triturada nesse processo”, disse Garcia, resgatando um voto de Alexandre de Moraes feito em março do ano passado em que ele defendia a liberdade de expressão, sugerindo contradição por parte do ministro. “E agora, ele vai para o divã do psicanalista para saber o que houve?”, ironizou.

“Esse processo vai contra o artigo 5º da Constituição: liberdade de expressão, de opinião, sem censura”, continuou. Para ele, o inquérito das fake news “está pegando muito mal para o Supremo”.

Sobre outros temas, defendeu a presença de militares no governo federal, argumentando que eles têm “ótima formação”, e até a interferência entre poderes, criticando o fato de a Polícia Federal não ter podido entrar no gabinete do senador José Serra (PSDB-SP) e defendendo que Bolsonaro possa nomear o chefe da PF sem embates. 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247