PSDB ainda não abandonou Temer por temer prisão de Aécio, diz Vera Magalhães

A colunista Vera Magalhães diz que Michel Temer e Aécio Neves, ambos atolados em denúncias de corrupção, acabam se escorando um no outro e, assim, os tucanos seguem sem abandonar o barco do governo; "o destino de Temer está ligado ao de Aécio Neves. Se o peemedebista for jogado aos leões, sem foro, o PMDB imediatamente deixará de atuar na retranca do pedido de prisão de Aécio, que deve voltar à pauta do Supremo", escreve a jornalista

Vera Magalhães
Vera Magalhães (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Em sua coluna nesta quarta-feira, Vera Magalhães diz que o PSDB julga que, "se é ruim com Temer, pior seria com Maia".

A jornalista mostra que a desconfiança do PSDB em relação a Rodrigo Maia e o temor de uma eventual prisão de Aécio caso Temer caia fazem com que os tucanos resistam ao desembarque. 

"Os tucanos também fizeram chegar a Rodrigo Maia que ele deveria cessar a campanha à qual se dedica (embora negue com veemência teatral) para se cacifar junto aos partidos. Emissários do PSDB disseram ao deputado do DEM que, se ele assumir o lugar de Temer, terá início no dia seguinte o “Fora, Rodrigo”, e ele será imediatamente tragado pela Lava Jato.

A desconfiança com a opção Maia se alia a outro fator que leva os tucanos a permanecerem no barco por ora: o destino de Temer está ligado ao de Aécio Neves. Se o peemedebista for jogado aos leões, sem foro, o PMDB imediatamente deixará de atuar na retranca do pedido de prisão de Aécio, que deve voltar à pauta do Supremo.

Assim, escorados um no outro e tendo como único discurso as reformas, PMDB e PSDB planejam – se “fatos novos” não se interpuserem no caminho – cruzar a linha de chegada do mandato em 2018. Resta saber se terão pernas para enfrentar a corrida presidencial, assim tão alquebrados."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247