Ratinho sobre o caso Mariana Ferrer: ‘caparia o estuprador’

"Eu tenho ódio de estuprador! Se eu pudesse, eu ‘caparia’ o estuprador!", afirmou o apresentador Ratinho após o Judiciário de Santa Catarina absolver o empresário André de Camargo Aranha, acusado de estuprar a blogueira Mariana Ferrer

Julgamento do caso Mariana Ferrer continua gerando onda de indignação
Julgamento do caso Mariana Ferrer continua gerando onda de indignação (Foto: Reprodução / Instagram | Isac Nóbrega/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O apresentador do SBT, Ratinho, comentou o julgamento do caso Mariana Ferrer e disse que a blogueira foi "desqualificada por alguns imbecis", em referência a Cláudio Gastão da Rosa Filho, advogado do acusado de estupro, e ao juiz Rudson Marcos, do Tribunal de Justiça de Santa Catarina. O magistrado absolveu o empresário André de Camargo Aranha, de 43 anos, acusado de estuprá-la, em Florianópolis (SC), no ano de 2018.

"Eu quero ver a punição que essa tal de OAB vai dar para esse advogado ‘pé de macaco’! Quero ver a punição que o promotor vai receber, que o juiz vai receber! Sexo não consentido é estupro e ponto final, cala a boca! Eu tenho ódio de estuprador! Se eu pudesse, eu ‘caparia’ o estuprador! Minha querida Mariana, de Santa Catarina, pode contar comigo, isso não vai ficar parado. Eu garanto que esse abuso vai ser reparado! Filho da p…!", afirmou Ratinho.

Em seu discurso, ele destacou que "Mariana foi estuprada, e o advogado do acusado praticou estupro moral contra ela ao humilhá-la". "Mari foi submetida a uma sessão de tortura psicológica, e eu exijo punição aos responsáveis, porque eu pago imposto. Qualquer homem que tenha filha, que tenha neta, que tenha esposa, namorada ou amiga deve sentir novo pela maneira como a menina foi tratada. É um machismo barato, oferecendo copo d’água para quem está sendo abusada pela segunda vez", continuou.

"Muitas mulheres no Brasil quando são estupradas preferem esconder o fato, não denunciar, porque quando chega a uma delegacia, mesmo sendo a Delegacia da Mulher, são ofendidas, tratadas como vagabundas e desqualificadas que incentivaram o estupro! É preciso dar um basta! Tem que respeitar as mulheres! Chega!", complementou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247