Record e SBT dedicam a Flavio Bolsonaro quatro vezes menos tempo que Globo

Uma das principais notícias da segunda-feira (13), a quebra do sigilo bancário e fiscal de Flavio Bolsonaro autorizada pela Justiça do Rio mereceu tratamento jornalístico muito diferente dos principais telejornais da TV aberta brasileira; o "Jornal Nacional" exibiu a reportagem mais longa (5:41) e detalhada sobre o assunto

Record e SBT dedicam a Flavio Bolsonaro quatro vezes menos tempo que Globo
Record e SBT dedicam a Flavio Bolsonaro quatro vezes menos tempo que Globo (Foto: Reprodução)

247 - Uma das principais notícias da segunda-feira (13), a quebra do sigilo bancário e fiscal de Flavio Bolsonaro autorizada pela Justiça do Rio mereceu tratamento jornalístico muito diferente dos principais telejornais da TV aberta brasileira. A reportagem é do jornalista Mauricio Stycer, no Portal UOL. 

Por envolver um senador que é filho do presidente, seria possível imaginar que a decisão judicial despertaria interesse geral. Mas não foi bem assim. No "Jornal da Cultura", a apresentadora Joyce Ribeiro resumiu a história em 48 segundos, sem exibir qualquer imagem. No "SBT Brasil", o assunto mereceu uma reportagem de 1:15, sem muitos detalhes, praticamente o mesmo tempo dedicado pelo "Jornal da Record (1:23).

Na estreia de um novo apresentador, Eduardo Oinegue, o "Jornal da Band" entendeu que a notícia tinha importância – foi a segunda na "escalada" do telejornal e ganhou reportagem de Sandro Barboza de quase três minutos. Metade do tempo foi dedicado a uma entrevista exclusiva com Flavio Bolsonaro, dada na emissora, na qual ele criticou a investigação e se defendeu.

O "RedeTV News" também entrevistou o senador. Por cinco minutos, ele repetiu as críticas ao Ministério Público e se defendeu. A emissora não mostrou as perguntas feitas a Flavio Bolsonaro. No fim ele pediu para "agradecer o espaço" recebido. Após a exibição da sua fala, Boris Casoy dedicou 20 segundos à reposta do MPF às críticas do senador.

Já o "Jornal Nacional" exibiu a reportagem mais longa (5:41) e detalhada sobre o assunto. O repórter Paulo Renato Soares apresentou diferentes aspectos da investigação do MPF e do despacho do juiz que autorizou a quebra de sigilo bancário. Mostrou quem são os alvos, além do senador, incluindo um homem acusado de ser miliciano e três empresários americanos, envolvidos em negócios imobiliários. Sem falar com Flavio Bolsonaro, reproduziu as críticas do senador ao inquérito feitas em entrevista ao Estadão.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247