Ricardo Miranda: Bolsonaro é um colecionador de ossos

O jornalista Ricardo Miranda criticou nesta quarta-feira, 27, a fixação do presidente Jair Bolsonaro por ditadores, ao comentar a declaração de Bolsonaro, que chamou ditador paraguaio Alfredo Stroessner de "estadista"; para Miranda, ao elogiar compulsivamente ditadores que mataram, torturaram e oprimiram seus povos, Bolsonaro mostra não só "desrespeito ao seu povo e a outros povos"; "Mostra que é um colecionador de ossos" 

Ricardo Miranda: Bolsonaro é um colecionador de ossos
Ricardo Miranda: Bolsonaro é um colecionador de ossos

247 - O jornalista Ricardo Miranda criticou nesta quarta-feira, 27, a fixação do presidente Jair Bolsonaro por ditadores. "O mais recente cromo de Bolsonaro é Alfredo Stroessner, a quem, sentimental que é, homenageou na terça, 26, durante cerimônia de posse do novo diretor-geral da Itaipu Binacional – Adivinhem? Outro militar, general Joaquim Silva e Luna, ex-ministro de Michel Temer -, usina elétrica feita em parceria entre os dois países durante suas ditaduras. Prova de que eles matam, estupram, torturam, jogam no mar, exilam, censuram, mentem, mas fazem", escreve Miranda em seu blog. 

"Bolsonaro já elogiou outro ditador sanguinário, Augusto Pinochet, que comandou o Chile com mão de ferro. Em dezembro passado, o deputado federal e filho de Bolsonaro, Eduardo, que tem atuado como representante informal do futuro governo em temas de relações exteriores, foi ao Chile, defendeu Pinochet, sobretudo economicamente, e disse que o ditador, cujo regime matou mais de 3 mil pessoas e torturou mais de 30 mil, 'impediu que o Chile se transformasse em uma nova Cuba'", acrescenta o jornalista. 

Para Ricardo Miranda, ao elogiar compulsivamente ditadores que mataram, torturaram e oprimiram seus povos, Bolsonaro mostra não só "desrespeito ao seu povo e a outros povos". "Mostra que é um colecionador de ossos", diz ele. 

Leia o texto na íntegra no Blog Gilberto Pão Doce

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247