Sakamoto: Maioria sabe que combater desigualdade reduz a violência. Bolsonaro, não

Segundo o jornalista Leonardo Sakamoto, "há um naco dos brasileiros que acredita que a violência decorre de uma falha de caráter moral ou de não frequentar uma igreja"

(Foto: Dir.: Marcos Corrêa - PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - "Bolsonaro não acredita que a redução da desigualdade social possa combater a violência", critica o jornalista Leonardon Sakamoto. "Pelo contrário, parece militar no sentido oposto. O Brasil mata jovens negros e pobres em uma quantidade muito maior que qualquer grupo social ou etário, parte de uma herança não resolvida. Mesmo assim, questionado durante a campanha sobre essa dívida histórica, ele ironizou: 'Que dívida? Eu nunca escravizei ninguém na minha vida'".

Segundo o colunista do Uol, "há um naco dos brasileiros que acredita que a violência decorre de uma falha de caráter moral ou de não frequentar uma igreja - como se não tivéssemos miríades de traficantes e milicianos que gritam 'Jesus!' entre uma execução e outra".

"Ironicamente, para esse grupo, relacionar altos índices de violência à falta de políticas públicas para produzir empregos, creches, escolas, hospitais, praças, parques, quadras, moradias e transporte é preconceito com os mais pobres", complementa.

"Esse debate demanda paciência e moderação sob o risco de nos jogar ainda mais para o buraco, abrindo caminho para um inverno sombrio, com a retirada de mais conquistas da Constituição Federal de 1988. Espero que os candidatos, pelo menos os mais responsáveis e seus partidos, lembrem-se que não se trata apenas de disputa de poder. É a dignidade humana que está em jogo no Brasil".

Leia a íntegra no Blog do Sakamoto

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247