SBT, última joia de Silvio, pode ir para o Ongoing

Concorrentes, como Globo, Record e Band, temem que a emissora caia nas mos do grupo portugus comandado pela brasileira Maria Alexandra Vasconcellos; ela j adquiriu jornais O Dia e Meia Hora e quer mais; presso da PF no caso Panamericano pode forar Silvio Santos a entregar sua tev

SBT, última joia de Silvio, pode ir para o Ongoing
SBT, última joia de Silvio, pode ir para o Ongoing (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A principal dúvida que paira sobre o mercado brasileiro de comunicação diz respeito ao futuro do SBT, joia da coroa do império construído por Silvio Santos. O empresário, que completa 81 anos em dezembro, não preparou uma sucessão interna e aqueles que foram seus principais executivos durante décadas, como Luiz Sandoval e Rafael Palladino, estão sendo indiciados pela Polícia Federal pelo rombo de R$ 4,3 bilhões deixado no banco Panamericano. Silvio decidiu vender todos os seus ativos, como as Lojas do Baú e a empresa de cosméticos Jequiti, mas é provável que tenha que entregar também a joia da coroa. Especula-se até que isso teria sido acertado pelo empresário e o presidente Lula numa conversa que ambos tiveram antes das eleições presidenciais de 2010 (leia mais aqui), em troca do apoio que o empresário recebeu do governo federal – o Panamericano, socorrido pela Caixa Econômica Federal e depois pelo Fundo Garantidor de Crédito, já precisa de mais R$ 600 milhões. (leia mais aqui).

Atentos ao desenrolar desse processo, os controladores das principais emissoras de televisão do Brasil, como Globo, Record e Bandeirantes, acompanham as movimentações do dono do SBT, que tem uma rede de retransmissoras espalhada por todo o País e boa parte da verba publicitária. Meses atrás, uma nota publicada na coluna da jornalista Mônica Bergamo, insinuou que o Eike Batista poderia ser um comprador – mas o bilionário carioca teria recuado, diante das pressões de concorrentes.

Agora, quem desponta como o mais provável comprador do SBT é o grupo português Ongoing, do empresário Nuno Vasconcellos, sócio da Portugal Telecom e também da Oi, comandado no Brasil por sua esposa, Maria Alexandra Vasconcellos. De dois anos para cá, o Ongoing, através de seu braço Ejesa, tem sido o maior investidor da mídia brasileira, tendo criado algumas publicações, como o jornal “Brasil Econômico”, e comprado outras, como “O Dia” e “Meia Hora”, ambos do Rio de Janeiro. Como a lei brasileira impede que grupos estrangeiros tenham mais de 30% do capital de veículos de comunicação no Brasil, o Ongoing também tem sido atacado, com frequência, pela Associação Nacional de Jornais, a ANJ.

Oligopólios familiares

Em entrevista recente ao jornalista Éder Fonseca, colaborador do 247, a empresária Maria Alexandra Vasconcellos falou sobre as pressões que enfrenta. “No Brasil, a imprensa é formada por grandes grupos familiares e a chegada da Ejesa, que fez investimentos como há muito não se via, balançou essa estrutura”, disse ela. “Os oligopólios são prejudiciais à população” (leia mais aqui).

Até agora, o Ejesa vem crescendo discretamente. Come pelas beiradas, como dizem os mineiros. Mas se efetivamente entrar no SBT, como parece ser o desejo de boa parte do governo federal, passará a ser um player de primeira grandeza.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email