“Se Bolsonaro brigar com a China, adeus agronegócio”

O colunista Celso Rocha de Barros, afirma, na Folha de S.Paulo, que "em seu esforço para tornar-se o macaco Twelves de Donald Trump" e líder de um eleitorado que "acredita nessas palhaçadas de Trump, Olavo de Carvalho, enfim"... Jair Bolsonaro "resolveu xingar os chineses"; "O problema é o seguinte: uma parte importante desse mesmo eleitorado bolsonarista não pode se dar ao luxo de brigar com a China", diz ele

Brasília - Conselho de Ética rejeita processo contra o deputado Jair Bolsonaro por citar Brilhante Ustra (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Brasília - Conselho de Ética rejeita processo contra o deputado Jair Bolsonaro por citar Brilhante Ustra (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil) (Foto: Gisele Federicce)

247 - O colunista Celso Rocha de Barros, afirma, na Folha de S.Paulo, que "em seu esforço para tornar-se o macaco Twelves de Donald Trump" e líder de um eleitorado que "acredita nessas palhaçadas de Trump, Olavo de Carvalho, enfim"... Jair Bolsonaro "resolveu xingar os chineses". "O problema é o seguinte: uma parte importante desse mesmo eleitorado bolsonarista não pode se dar ao luxo de brigar com a China", diz.

"Se Bolsonaro for eleito presidente do Brasil e resolver brigar com a China para puxar o saco do Trump a China vai retaliar o Brasil aumentando as tarifas sobre os produtos brasileiros. E aí acabou, amigos. Se a China retaliar o Brasil comercialmente, Bolsonaro e seus filhos vão ter que começar a produzir nióbio por cada uma de suas reentrâncias para começar a compensar o efeito dessa catástrofe na economia brasileira. E aí é melhor o pessoal do agronegócio Jair se acostumando a ser pobre", prevê.

Leia aqui sua coluna.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247