Sérgio Moro acha que somos todos burros, diz editor do Intercept

Andrew Fishman, editor do site The Intercept, comenta o "lapso" do ministro da Justiça Sérgio Moro, que omitiu uma palestra remunerada feita em 2016, conforme mostra nova denúncia da Vaza Jato, publicada neste domingo (4). "Ele acha que somos burros", escreveu

(Foto: Marcelo Camargo - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Andrew Fishman, editor do site The Intercept, comenta o "lapso" do ministro da Justiça Sérgio Moro, que omitiu uma palestra remunerada feita em 2016, conforme mostra nova denúncia da Vaza Jato, publicada neste domingo (4). "Ele acha que somos burros", escreveu.

"No dia 22 de de maio de 2017, Moro disse a Deltan que um executivo do grupo de comunicação Sinos queria seu contato para fazer um convite. 'Ano passado dei uma palestra lá para eles, bem organizada e bem paga', escreveu o juiz. 'Passa sim!', respondeu Deltan, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. Uma resolução aprovada pelo Conselho Nacional de Justiça em junho de 2016 tornou obrigatório para juízes de todas as instâncias o registro de informações sobre palestras e outros eventos", lembra a reportagem.

Em resposta, Moro afirmou que a omissão da palestra em suas prestações de contas pode ter ocorrido por "puro lapso". "Houve tempo para perguntas da plateia, e um dos espectadores quis saber quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) seria preso – o que aconteceu em abril de 2018, para que ele fosse impedido de disputar as eleições presidenciais, que venceria em primeiro turno.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247