Singer vê Temer próximo do impeachment e pede Diretas

Em sua coluna na Folha de S.Paulo, o cientista político André Singer vê Michel Temer próximo do impeachment e pede eleições diretas após a queda do peemedebista; ele  afirma que os áudios divulgados já são o suficiente para que "o prócer peemedebista sofra impeachment"; Singer defende eleições diretas; "Respeitar a Constituição não significa a impossibilidade absoluta de mudá-la. A Cidadã foi emendada 95 vezes. Algumas das mudanças foram ruins, como a PEC dos Gastos, mas nada impede que desta vez possamos acertar. Ampliar a participação dos cidadãos é o melhor meio de sair da crise. Se não for o único", diz

André Singer
André Singer (Foto: José Barbacena)

247 - Em sua coluna deste sábado, na Folha de S.Paulo, o cientista político André Singer vê Michel Temer próximo do impeachment e pede eleições diretas após a queda do peemedebista. O professor da USP afirma que os áudios divulgados não trouxeram aquilo que se anunciava na mídia, porém, já são o suficiente para que "o prócer peemedebista sofra impeachment".

Singer diz que os pronunciamentos de Michel Temer não apagaram as suspeitas e diz que, em alguns pontos, funcionaram até como "confissão espontânea". O colunista defende então as eleições diretas.

"A proposta de emenda constitucional (PEC) 227, do deputado Miro Teixeira (Rede-RJ), resolve bem o problema. Ela altera a redação da Carta de 1988, fazendo prever eleições diretas até seis meses do fim do mandato, quando o papel do presidente passa a ser apenas o de conduzir o pleito seguinte. Torna também a Constituição compatível com o previsto no Código Eleitoral", diz.

"Respeitar a Constituição não significa a impossibilidade absoluta de mudá-la. A Cidadã foi emendada 95 vezes. Algumas das mudanças foram ruins, como a PEC dos Gastos, mas nada impede que desta vez possamos acertar. Ampliar a participação dos cidadãos é o melhor meio de sair da crise. Se não for o único".

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247