Sócio oculto de Allan dos Santos no site Terça Livre tem contrato com empresas públicas

Uma investigação da PF apontou que Bruno Ayres, sócio oculto do blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, do site Terça- Livre, tem contrato com empresas públicas e também pediu ao parceiro para se aproximar do dono da Havan, Luciano Hang, que, assim como Allan, é investigado no inquérito das fake news

Allan dos Santos
Allan dos Santos (Foto: Alessandro Dantas - Ag. Senado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Uma investigação da Polícia Federal (PF) apontou que Bruno Ayres, sócio oculto de Allan dos Santos no site bolsonarista Terça Livre, tem contrato com empresas públicas por meio de outra empresa de tecnologia comandada por ele. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (23) em reportagem do jornalista Thiago Bronzatto, no site da revista Veja.

De acordo com mensagens obtidas pela PF, Bruno pediu ajuda para Allan dos Santos para se aproximar de Luciano Hang, o veio da Havan.

Bruno afirmou ter optado pela modalidade jurídica de "sócio oculto" por que se adequaria melhor à sua participação no negócio. "Não estou oculto no negócio", disse ele, ressaltando que participa na "condição de sócio participante".

"Sou empresário há 20 anos e presto serviços majoritariamente para o setor privado. Os poucos contratos públicos que tenho foram iniciados antes do início do atual governo", confessou.

Em maio, Allan dos Santos e Luciano Hang foram alvos de mandados de busca e apreensão da PF no âmbito do inquérito que investiga a propagação de fake news. 

Bruno também teria falado com um dos funcionários do Terça Livre para não expor um carro de luxo na garagem de Allan.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247