Tijolaço ironiza Parente: acha que pré-sal é ruim para a Petrobras

Para Fernando Brito, do Tijolaço, enquanto a Shell gastou uma fortuna para arriscar-se a explorar petróleo em meio às geleiras do Ártico, Pedro Parente, ao assumir a presidência da empresa só faltou dar “graças a deus” à ideia de tirar da Petrobras o direito de ficar com pelo menos 30% de todo o petróleo (achado, garantido) na região do pré-sal

www.brasil247.com - Para Fernando Brito, do Tijolaço, enquanto a Shell gastou uma fortuna para arriscar-se a explorar petróleo em meio às geleiras do Ártico, Pedro Parente, ao assumir a presidência da empresa só faltou dar “graças a deus” à ideia de tirar da Petrobras o direito de ficar com pelo menos 30% de todo o petróleo (achado, garantido) na região do pré-sal
Para Fernando Brito, do Tijolaço, enquanto a Shell gastou uma fortuna para arriscar-se a explorar petróleo em meio às geleiras do Ártico, Pedro Parente, ao assumir a presidência da empresa só faltou dar “graças a deus” à ideia de tirar da Petrobras o direito de ficar com pelo menos 30% de todo o petróleo (achado, garantido) na região do pré-sal (Foto: Roberta Namour)


Por Fernando Brito, do Tijolaço 

O golpe vai produzindo seus crimes e os “justifica” de maneira espantosamente ridícula.

O interventor do golpe na Petrobras, o ex-ministro do apagão de Fernando Henrique Cardoso, acaba de transformar a nossa empresa estatal na única petroleira do mundo que não quer petróleo.

É isso mesmo.

Enquanto a Shell gastou uma fortuna para arriscar-se a explorar petróleo em meio às geleiras do Ártico, Pedro Parente, ao assumir a presidência da empresa só faltou dar “graças a deus” à ideia de tirar da Petrobras o direito de ficar com pelo menos 30% de todo o petróleo (achado, garantido) na região do pré-sal.

Segundo ele, há um pecado imperdoável em garantir-se à empresa áreas onde os poços estão jorrando 20, 30, 40 mil barris diários, dez vezes mais que os outros campos marítimos do Brasil por que  isso ” retira a liberdade da empresa de escolher os seus projetos, o que é imperdoável para uma empresa listada em Bolsa.”

Ora, como assim “retira a liberdade da empresa escolher” as áreas mais rentáveis da plataforma continental brasileira?

Quer fazer um teste, “seu” Parente? Chame a Shell, a Exxon, a Total, as chineses, a BP, até o seu Manoel da Padaria e pergunte: quem quer a garantia de ter, no mínimo, 30% dos direitos do pré-sal e só vai gastar na hora de explorar?

Dá briga, seu Parente, dá briga.

A outra razão do gênio do apagão é que isso vai “atrasar a exploração do pré-sal”.

Será que sua apaguência não sabe que o que está atrasando a exploração de petróleo, aqui e no mundo inteiro, são os preços?

Que para tirar petróleo e vender a 30 dólares, lucrando cinco ou seis por barril o dinheiro disponível é um e para vender por 100 dólares é outro?

Que nos Estados Unidos, com toda a liberdade capitalista, há 404 sondas perfurando, menos dos que as 471 que foram desativadas nos últimos 12 meses? Será que é a partilha? Ué, não tem partilha por lá….

Parente veio para liquidar a Petrobras, o que só não se pode fazer de imediato porque o preço do petróleo não aconselha as grandes a assumirem passos que suas pernas não aguentam, tendo todas amargado prejuízos em 2015.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247