Tijolaço: Kim Kataguiri é o 'japonês mausinho' do 'quanto pior, melhor'

"O rapazote que é promovido pela mídia como grande ideólogo 'coxinha', Kim Kataguiri, expôs hoje na Folha a desfaçatez típica do pensamento nazistóide, que encara a população como uma massa a ser impiedosamente manobrada como ferramenta de seus interesses políticos", diz Fernando Brito, editor do Tijolaço; Ele defendeu – como seus líderes do PSDB fizeram ontem – que os deputados entrem de férias, deixando parado o processo de impeachment, para que, neste tempo 'a população (…) possa sentir as consequências da crise'

"O rapazote que é promovido pela mídia como grande ideólogo 'coxinha', Kim Kataguiri, expôs hoje na Folha a desfaçatez típica do pensamento nazistóide, que encara a população como uma massa a ser impiedosamente manobrada como ferramenta de seus interesses políticos", diz Fernando Brito, editor do Tijolaço; Ele defendeu – como seus líderes do PSDB fizeram ontem – que os deputados entrem de férias, deixando parado o processo de impeachment, para que, neste tempo 'a população (…) possa sentir as consequências da crise'
"O rapazote que é promovido pela mídia como grande ideólogo 'coxinha', Kim Kataguiri, expôs hoje na Folha a desfaçatez típica do pensamento nazistóide, que encara a população como uma massa a ser impiedosamente manobrada como ferramenta de seus interesses políticos", diz Fernando Brito, editor do Tijolaço; Ele defendeu – como seus líderes do PSDB fizeram ontem – que os deputados entrem de férias, deixando parado o processo de impeachment, para que, neste tempo 'a população (…) possa sentir as consequências da crise' (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Japonês Mauzinho:”Devagar com o impeachment, que o povo precisa sofrer”

O rapazote que é promovido pela mídia como grande ideólogo “coxinha”, Kim Kataguiri, expôs hoje na Folha a desfaçatez típica do pensamento nazistóide, que encara a população como uma massa a ser impiedosamente manobrada como ferramenta de seus interesses políticos.

Ele defendeu – como seus líderes do PSDB fizeram ontem – que os deputados entrem de férias, deixando parado o processo de impeachment, para que, neste tempo “a população (…) possa sentir as consequências da crise”.

 

coxkim

O rapazote que é promovido pela mídia como grande ideólogo “coxinha”, Kim Kataguiri, expôs hoje na Folha a desfaçatez típica do pensamento nazistóide, que encara a população como uma massa a ser impiedosamente manobrada como ferramenta de seus interesses políticos.

Ele defendeu – como seus líderes do PSDB fizeram ontem – que os deputados entrem de férias, deixando parado o processo de impeachment, para que, neste tempo “a população (…) possa sentir as consequências da crise”.

 

“Articulado com a oposição, o MBL (Movimento Brasil Livre), grupo que pede a saída da presidente Dilma Rousseff, quer que o impeachment siga um ritmo mais lento no Congresso, para aumentar o desgaste do governo. Seus integrantes defenderam, nesta sexta (4), que os parlamentares entrem em recesso em 23 de dezembro( é 18, na verdade), como estava previsto inicialmente.(…)

Na avaliação do movimento, com o recesso, os deputados voltarão para seus Estados e serão pressionados por suas bases eleitorais. Também haverá mais tempo para a população sentir os efeitos da crise –piorando o humor em relação a Dilma.

A população tem que ter esse tempo para compreender o crime fiscal [de que o governo é acusado] e, ao mesmo tempo, sentir as consequências da crise gerada pela própria presidente. E tem mais os desdobramentos da Operação Lava Jato, com novas delações”, disse Kim Kataguiri, um dos líderes do MBL.”

Alguém queria um exemplo mais claro do que é o tal “quanto pior melhor”?

Ou do que é indiferença, falta de compaixão e maldade para com o sofrimento das pessoas humildes?

Ou de como uma pessoa jovem pode ter um pensamento velho ao ponto de achar que os pobres merecem é castigo para aprenderem?

No dia em que a gurizada de São Paulo, sem nada do que dispõe este coxinha que ocupou e abandonou uma vaga numa universidade pública para se tornar  arroz de festa do golpismo, levou bomba e cassetete para defender a sobrevivência de suas escolas, é um escárnio com a juventude que quem tenha espaço na mídia seja ele, para dizer que é bom que o povo “sinta as consequências da crise”.

É o mesmo pensamento doentio que o faz defender a privatização da saúde e da educação.

E dizer que nós vivemos numa ditadura bolivariana, embora bomba e cassetete só enfrentem os que pensam o contrário dele, como se viu nas ruas de São Paulo.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247