Tijolaço: sem prova contra Lula, MP quer delação falsa da Odebrecht

O jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, afirma há um "desespero dramático" dos operadores da Operação Lava Jato: "não há negócios que comprometam Lula, não há papéis que comprometam Lula, não há contas secretas no exterior ou offshores que comprometam Lula"; por isso, a condição imposta aos presos da Odebrecht: delação só se citarem Lula; para o editor do Tijolaço, "o MP e Moro, nesta Semana Santa, estão dispostos a soltar Barrabás, centenas deles, para levar Lula à cruz"

O jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, afirma há um "desespero dramático" dos operadores da Operação Lava Jato: "não há negócios que comprometam Lula, não há papéis que comprometam Lula, não há contas secretas no exterior ou offshores que comprometam Lula"; por isso, a condição imposta aos presos da Odebrecht: delação só se citarem Lula; para o editor do Tijolaço, "o MP e Moro, nesta Semana Santa, estão dispostos a soltar Barrabás, centenas deles, para levar Lula à cruz"
O jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, afirma há um "desespero dramático" dos operadores da Operação Lava Jato: "não há negócios que comprometam Lula, não há papéis que comprometam Lula, não há contas secretas no exterior ou offshores que comprometam Lula"; por isso, a condição imposta aos presos da Odebrecht: delação só se citarem Lula; para o editor do Tijolaço, "o MP e Moro, nesta Semana Santa, estão dispostos a soltar Barrabás, centenas deles, para levar Lula à cruz" (Foto: Valter Lima)

247 - O jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, afirma há um "desespero dramático" dos operadores da Operação Lava Jato: "não há negócios que comprometam Lula, não há papéis que comprometam Lula, não há contas secretas no exterior ou offshores que comprometam Lula". Por isso, a condição imposta aos presos da Odebrecht: delação só se citarem Lula.

"Precisam de uma arrancada palavra que comprometa Lula, algo tão incrível quanto um Presidente da República ter entregue uma refinaria de bilhões, um navio-sonda de bilhão, obras de centenas de milhões em troca de uns pedalinhos, uma reforma de cozinha, um puxadinho num sítio, e depois que deixasse o Governo", afirma.

Para o editor do Tijolaço, "o MP e Moro, nesta Semana Santa, estão dispostos a soltar Barrabás, centenas deles, para levar Lula à cruz".

"Sem ter nenhuma simpatia por empreiteiros, registro meu respeito a este rapaz, Marcelo Odebrecht, torturado com a prisão “preventiva” durante nove meses, até agora inúteis para se se tornasse um Judas. Em tudo o que ele vier a dizer, agora, haverá a indelével marca da tortura psicológica, coisa de meganhas brutais que dizem: “fala o que eu quero ou vou te fazer mofar na cadeia”. E o fizeram, sob o beneplácito de cortes superiores que se revelaram incrivelmente inferiores diante da “opinião que se publica”. Agora, numa perversão macabra, exige-se que um preso até há pouco sem condenação – e condenação na Vara de Moro é quase automática – entregue a cabeça de Lula, a menos que queria mofar eternamente na cadeia e ver seu império empresarial destruído. Pode-se esperar muito da “colaboração ” da Odebrecht, menos a sinceridade", diz.

Leia o post na íntegra aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247