Veja é ópera-bufa - A Copa é nossa!

o que mais me chama atenção neste pasquim de extrema direita são suas capas, até porque suas reportagens levianas são ridículas e elas mesmas se encarregam de se desmentir no próprio texto lido pelo leitor

Para a Veja, o Brasil terminaria de construir os estádios da Copa de 2014 no mínimo em 2017, sendo que um dos estádios seria entregue ao povo brasileiro somente em 2038. Veja é bufona e por isto ridícula por si mesma.

Se o capitão Nascimento, principal personagem do filme Tropa de Elite, fosse, hipoteticamente, falar com o opositor político Roberto Civita e com seus jornalistas fantoches e repetidores de seu pensamento tortuoso e, sobretudo, contra o Brasil e o povo brasileiro, o policial militar diria a ele a famosa frase: "Pede pra sair!", com o dedo em riste, os dentes cerrados, o olhar a destilar sua ira contra um empresário que apresenta à sociedade um produto editorial de péssima qualidade, como o é a Veja — a Última Flor do Fáscio —, a Revista Porcaria.

Veja é o que é, ou seja, um escorpião, que envenenaria até a quem poderia salvá-la, tal qual à fábula. Sua natureza é traiçoeira e golpista. É o que se pode dizer de uma publicação tão perniciosa, de caráter perverso e integralmente dedicada à manipulação e à mentira, para atender a seus interesses e os de quem a revista representa, exemplificados nas grandes corporações nacionais e internacionais, bem como aliada da extrema direita norte-americana, brasileira e europeia.

Contudo, o que mais me chama atenção neste pasquim de extrema direita são suas capas, até porque suas reportagens levianas são ridículas e elas mesmas se encarregam de se desmentir no próprio texto lido pelo leitor. É uma contradição só, porque os títulos de suas matérias são useiros e vezeiros em contradizer a informação escrita. Por sua vez, as capas são o retrato de uma ópera-bufa, de uma falácia sem par, pois exageradas e totalmente direcionadas a tentar desmoralizar a quem esse pasquim de quinta categoria considera como seus inimigos.

Um exemplo é a capa da Última Flor do Fáscio, que ilustra este artigo e publicada há dois anos. Nela, os "gênios" da Revista Porcaria, verdadeiros malfeitores intelectuais, apostam no pessimismo, e, consequentemente, na incompetência dos governantes, dos administradores, dos engenheiros e dos operários brasileiros para construir os estádios de futebol e entregá-los antes de acontecer os jogos das competições. Logo o Brasil, País construtor da Petrobras, da Vale do Rio Doce, da Telebrás, da Embratel, das hidrelétricas gigantescas, da Ponte Rio-Niterói, das siderúrgicas, de navios, das rodovias e dos espigões das grandes cidades.

 

O Brasil que, no já longínquo ano de 1950, construiu o maior estádio do mundo — o Maracanã — e realizou a Copa em inúmeras capitais. Pois, não é que essa revista golpista, cujos principais escribas são portadores de um extraordinário, incomensurável e, portanto, um inenarrável complexo de vira-lata, apostou na derrota, na insuficiência, na incapacidade e, por fim, na iniqüidade? Apostou e publicou em sua vexaminosa, incompetente, pérfida e mentirosa capa o "fracasso" do Brasil e dos brasileiros, porque essa gente acredita, piamente, na sua cabeça colonizada, subserviente e de baixíssima estima, e por isto não consegue ver o Brasil com bons olhos e muito menos considerar que os brasileiros merecem o melhor e não o pior, como desejam os subnutridos da palavra, ferozes capitães-do-mato da Casa Grande e herdeiros legítimos da escravidão.

Mais uma vez a Revista Porcaria fracassou em sua leviana capa, repleta de insensatez e vazia em seu comprometimento com qualquer coisa que orgulhe o País e melhore as condições de vida do povo brasileiro. Veja é o marco da patifaria, a má-intenção em toda sua plenitude, a desfaçatez em essência, a perversidade como ideologia e a mentira como força bruta. Sua sordidez, principalmente nos últimos 11 anos supera, e muito, o pasquim de Rupert Murdoch. Roberto Civita é mais do que o Murdoch. Muito mais. E sabem por quê? Por que o Murdoch teve de fechar o News of the World, seus jornalistas foram processados e alguns presos, além de o bilionário ter de depor no Parlamento e dar satisfações à sociedade inglesa.

Além do mais, o episódio de escutas clandestinas efetivadas pelos diretores e editores de tal pasquim acelerou a regulamentação das mídias na Inglaterra, e por aqui os Murdoch(s) tupiniquins se calaram, não criticam a ação do governo inglês, porque, na verdade, a intenção é censurar tal acontecimento, porque não dar publicidade a esse assunto é estratégia para que não ocorra no Brasil o que ocorreu na Inglaterra, na Argentina e na maioria dos paises europeus e nos EUA.

Somente no Brasil que efetivar um marco regulatório para as mídias é a mesma coisa que censurar e ou se posicionar contra a liberdade de imprensa e de expressão. Mentira! Regular e democratizar os meios de comunicação e dar acesso à informação a todos os brasileiros. Ponto! Regular significa permitir que haja competição no mercado e, por conseguinte, dar mais opções à sociedade no que diz respeito a ter mais canais de televisão, com preços mais baratos quando se trata de TV paga, por exemplo.

Entretanto, os barões da mídia e da imprensa de negócios privados não querem que aconteça esse processo. Logo eles tão "defensores" e "pregadores" do livre mercado, da auto-regulação e do estado mínimo. O mesmo livre mercado, auto-regulação e estado mínimo que derreteu as economias europeias e que puniu severamente os EUA, a partir da crise de 2008. E a Veja e seus escribas fingem que nada disso aconteceu. Talvez eles achem que são histórias da Carochinha.

E não é que o Brasil vai entregar os estádios, como o fez em 1950, quando ainda tínhamos a maioria de nossa população a viver no meio rural. Os estádios vão, indelevelmente, ficar lindos, modernos e tecnológicos. A Copa no Brasil vai ser uma das melhores da história, porque, simplesmente, o povo é competente. Incompetente é essa "elite" entreguista e colonizada que nunca construiu nada. Pelo contrário... Quando esteve no poder nunca deu nada ao povo. Tirou. Afinal, a oposição vendeu o patrimônio público. A Copa é nossa! Os nossos Maracas também. Apesar da ópera-bufa de Veja e de toda imprensa de mercado. É isso aí.

Confira a realidade dos estádios do Brasil e compare com as previsões furadas e mal-intencionadas de Veja — A Última Flor do Fáscio:

Estádio                                       Entrega                  Previsão de Veja

Mineirão - Belo Horizonte           21/12/2012                      2020

Estádio Nacional de Brasília       Maio de 2013                    2021

Arena Pantanal – Cuiabá           62% concluída                   2017

Arena da Baixada - Curitiba       56% concluída                  Nunca

Castelão – Fortaleza                 16/12/2012                       2013

Maracanã - Rio de Janeiro          27/04/2013                      2038

Arena da Amazônia – Manaus   56% concluída                   2024

Arena das Dunas – Natal           61% concluída                  Nunca

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247