Vinícius Torres Freire: "estamos na escuridão, da política à economia”

Para o jornalista Vinícius Torre Freire, o agravamento da crise política e econômica por causa do avanço da pandemia evidencia a falta de "diagnóstico deste desastre e um plano de saída". "Estamos na escuridão, da política à economia", afirma

Governo Jair Bolsonaro, que tem Paulo Guedes na pasta da Economia, quer rever a regra que limita avanço das despesas à inflação
Governo Jair Bolsonaro, que tem Paulo Guedes na pasta da Economia, quer rever a regra que limita avanço das despesas à inflação (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Vinícius Torre Freire observa que em meio ao avanço da pandemia do novo coronavírus no Brasil, “fala-se menos ou quase nada da subnotificação da ruína econômica, da falta de diagnósticos sobre o desastre nas empresas e nos empregos, assim como um plano de contenção da crise e de reativação do país”.

“No momento, tudo se passa como se o governo federal, em particular, tivesse feito o que pode (ou o que quer) quanto as medidas para atenuar a catástrofe. Quanto ao futuro, por ora o que se sabe de planos é “business as usual”. Espera-se para ver o que vai dar. Quem sobreviver verá. Empresas morrem, é assim o mercado, diz o ministro Paulo Guedes (Economia)”, escreve o jornalista em sua coluna na Folha de S. Paulo deste domingo (10).

“Isto é, prevê-se apenas a retomada das “reformas”, manutenção das regras fiscais e contenção de despesas logo em 2021”, ressalta. “No entanto, é fácil perceber que a economia estará em situação muitíssimo pior do que nos anos de quase estagnação de 2017 a 2019 (e como seria este 2020, sem epidemia), de crescimento em torno de 1% ao ano”, completa.

“Enfim, onde está o diagnóstico deste desastre e um plano de saída? Sabemos disso tanto quanto sabemos do número de casos de Covid-19. Provavelmente, muito menos. Estamos na escuridão, da política à economia”, afirma.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247