Zé Dirceu é perseguido pela mídia até no aniversário da sua esposa

Em tempos de intolerância, nem uma simples festa de aniversário consegue escapar ilesa; foi o que aconteceu neste final de semana com o ex-ministro José Dirceu, enquanto comemorava mais um ano de vida de sua esposa, ao lado de amigos, em Brasília; mesmo sem infringir nenhuma ordem judicial, o ex-ministro segue como um dos alvos preferidos destes veículos; reportagem da Fórum

O ex-ministro José Dirceu disse que campanha de Dilma não deve ter salto alto
O ex-ministro José Dirceu disse que campanha de Dilma não deve ter salto alto (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Fórum - Em tempos de intolerância, nem uma simples festa de aniversário consegue escapar ilesa. Foi o que aconteceu neste final de semana com o ex-ministro José Dirceu, enquanto comemorava mais um ano de vida de sua esposa, ao lado de amigos, em Brasília.

Mesmo sem infringir nenhuma ordem judicial, veículos da grande mídia resolveram persegui-lo. Em uma quase invasão de privacidade, seguem reproduzindo vídeos feitos por convidados, em que Dirceu aparece dançando durante esta festa.

"Zé Dirceu está livre, apenas não pode sair de Brasília sem avisar. De resto está livre para ir onde quiser e enquanto estiver em liberdade tem todo o direito de festejar o aniversário da mulher, de um amigo ou qualquer familiar", esclarece seu advogado, Roberto Podval.

Entre as restrições que o ex-ministro é obrigado a cumprir estão: o uso de tornozeleira eletrônica; não pode deixar Brasília, cidade na qual reside atualmente; está proibido de se comunicar com outros acusados ou testemunhas de ações penais a que responde na Lava Jato; proibição de deixar o país, com entrega de passaportes brasileiros e estrangeiros; comparecimento a todos os atos do processo e atendimento às intimações.

Desde o último mês de maio, Dirceu aguarda uma definição de seus processos em liberdade, por determinação do Supremo Tribunal Federal. Recentemente, teve sua pena aumentada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), para 30 anos e nove meses de prisão.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247