114 políticos foram assassinados na campanha presidencial mexicana

O processo eleitoral no México começou em setembro passado e terminará no próximo domingo, 1º., com a eleição para presidente e outros 3,4 mil postos. Pelo menos menos 114 políticos e candidatos foram assassinados no período, de acordo com a empresa de consultoria Etellekt

O processo eleitoral no México começou em setembro passado e terminará no próximo domingo, 1º., com a eleição para presidente e outros 3,4 mil postos. Pelo menos menos 114 políticos e candidatos foram assassinados no período, de acordo com a empresa de consultoria Etellekt
O processo eleitoral no México começou em setembro passado e terminará no próximo domingo, 1º., com a eleição para presidente e outros 3,4 mil postos. Pelo menos menos 114 políticos e candidatos foram assassinados no período, de acordo com a empresa de consultoria Etellekt (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - "Ser candidato no México é praticamente uma sentença de morte, afirma, quase sussurrando, Mario Alberto Chávez, aspirante à prefeitura de Zumpango, no violento estado de Guerrero", informa Jennifer Gonzalez Covarrubias, na Carta Capital.

O México fechou 2017 com um recorde de 25.339 assassinatos. Desde 2006, quando o governo militarizou o combate ao narcotráfico, mais de 200 mil pessoas foram assassinadas e outras 30 mil estão desaparecidas, segundo a matéria.

O processo eleitoral começou em setembro passado e terminará no próximo domingo, 1º., com a eleição para presidente e outros 3,4 mil postos. Pelo menos menos 114 políticos e candidatos foram assassinados no período, de acordo com a empresa de consultoria Etellekt".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247