A crueldade ideológica da mídia: mortos do avião russo eram cantores e dançarinos

Fernando Brito, editor do Tijolaço, escreve sobre a Alexander Ensemble, coral e grupo de bailarinos que estavam no avião russo que desapareceu no Mar Negro e foram ignorados pela mídia ocidental; assista

Fernando Brito, editor do Tijolaço, escreve sobre a Alexander Ensemble, coral e grupo de bailarinos que estavam no avião russo que desapareceu no Mar Negro e foram ignorados pela mídia ocidental; assista
Fernando Brito, editor do Tijolaço, escreve sobre a Alexander Ensemble, coral e grupo de bailarinos que estavam no avião russo que desapareceu no Mar Negro e foram ignorados pela mídia ocidental; assista (Foto: Leonardo Attuch)

Por Fernando Brito, editor do Tijolaço

Com toda a razão, ficamos todos emocionados quando jogadores de futebol da Chapecoense perderam a vida na queda de seu avião na Colômbia.

Mas é inexplicável que, na cobertura de um acidente semelhante, no Mar Negro, tenha-se de ler quatro parágrafos da Folha  antes de saber que os “militares” que o “avião militar” russo que despencou na decolagem eram de algo descrito como” Alexandrov Ensemble, banda militar que iria participar das celebrações de fim de ano na base russa”.

Não é uma banda, é um coral e um grupo de bailarinos.

E não ia “participar das celebrações de fim de ano na base russa”, mas iria para Aleppo, fazer parte dos festejos da libertação da cidade síria de grupos fanáticos.

Era um bando de meganhas truculentos, não é?

Ledo engano.

Olhe no vídeo e veja o que era a Alexandrov Ensemble, a tal “banda militar”.

Um pequeno exemplo da guerra ideológica que a burrice teima em não  encerrar.

Assista a um dos espetáculos dos “ferozes comunistas” que morreram no acidente e tente imaginar como, se não fossem russos, todos estariam lamentando a morte de gente da arte, da boa vontade, da alegria.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247