A versão israelense das rebeliões árabes

Manifestaes pelo alto custo de vida iniciada pela internet ganham as ruas de Israel. Populao pede a sada do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, h dois anos no poder

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 com agências internacionais - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, está enfrentando a sua maior crise interna desde que assumiu o poder há dois anos. Segundo o jornal Financial Times, dezenas de milhares de israelenses aderiram a um movimento de protesto crescente contra o alto custo de vida no país.

Os analistas chamam esse movimento de a versão israelense das rebeliões árabes. As manifestações começaram no início de julho. Uma editora de vídeo de 25 anos de idade anunciou na rede social Facebook que estava cansada de gastar a metade do seu salário com o pagamento do aluguel da sua residência. Rapidamente, centenas de israelenses se juntaram a ela. O proteso saiu da internet e invadiu a Rothschild Boulevard, uma avenida de Tel Aviv ladeada de árvores. Segundo o jorna FT, o custo da moradia em Israel aumentou mais de 40% desde 2007. Entre os principais motivos estariam a falta de espaço disponível para construção e a escassez de apartamentos a preços acessíveis.

Desde então, mais e mais manifestantes saíram as ruas e bloquearam estradas, gritando : “O povo quer justiça social!” e “Revolução!”. Algum pedem a renúncia de Netanyahu. “Eu creio que Netanyahu está politicamente condenado no médio e longo prazo devido a essa percepção de que uma grande parte da economia está baseada na chantagem política em benefício dos colonos instalados nos assentamentos”, disse Yaron Ezhari, cientista político da Universidade Hebraica de Jerusalém.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email