África do Sul suspende vacina de Oxford-Astrazeneca por não imunizar contra nova variante do coronavírus

Estudo indicou que a vacina de Oxford, a Astrazeneca, que no Brasil foi adquirida com prioridade pelo governo Bolsonaro, não imuniza contra nova variante do coronavírus

(Foto: REUTERS/Dado Ruvic)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A África do Sul vai suspender o uso da vacina desenvolvida em parceria entre a farmacêutica britânica AstraZeneca e a Universidade de Oxford após teste apontar que o imunizante oferece proteção limitada contra a variante sul-africana do coronavírus.

Um estudo da Universidade de Witwatersrand, da África do Sul, e da Universidade de Oxford mostrou que a vacina reduziu significativamente sua eficácia contra a principal variante do vírus em circulação na África do Sul.

Neste domingo (7), o ministro da Saúde, Zweli Mkhize, afirmou que a melhor forma de proceder com as vacinas de Oxford recebidas ainda será discutida com cientistas da pasta, informa O Estado de S.Paulo

Entre as variantes do coronavírus atualmente mais preocupantes para cientistas e especialistas em saúde pública estão as chamadas cepas britânica, sul-africana e brasileira. 

"O porta-voz da Astrazeneca disse que a Universidade de Oxford e a farmacêutica começaram a adaptar a vacina contra esta variante. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email