Agência de notícias desmente morte de cientista iraniano

Darioush Rezaei, de 35 anos, foi dado como morto por engano, segundo agncia semioficial Fars

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

A agência de notícias semioficial Fars negou que um físico envolvido no programa nuclear do Irã tenha sido assassinado hoje. A Fars disse que outro homem foi morto e que houve uma confusão. Segundo a agência, a vítima do ataque foi Darioush Rezaeiejad, um estudante universitário.

Relatos de outras empresas de comunicação, dentre elas de outra agência semioficial de notícias, a Isna, haviam identificado a vítima como o físico Darioush Rezaei. Não foi possível entrar em contato com autoridades iranianas para falar sobre o assunto.

Leia matéria publicada mais cedo:

Dois homens mataram hoje um físico iraniano envolvido no programa nuclear do país, num ataque semelhante a outros assassinatos recentes de cientistas. Teerã acusa Israel e os Estados Unidos pelas mortes. Os homens se aproximaram, de moto, do carro de Darioush Rezaei quando ele estava indo para sua casa no nordeste de Teerã. Sua mulher e sua filha também estavam no automóvel, segundo o site de notícias asriran.com.

Rezaei, de 35 anos, era professor de física com especialização em transporte de nêutrons, que está no centro da cadeia de reações nucleares em reatores e bombas. Em novembro, um outro cientista com a mesma especialização foi assassinado. Várias informações divulgadas pela mídia, incluindo a agência semioficial Isna, ligam o cientista ao programa nuclear iraniano.

Os homens chamaram Rezaei pelo nome, atiraram em seu pescoço e deram meia-volta, disse a emissora estatal Press TV, citando testemunhas. Sua mulher ficou ferida e foi levada rapidamente para o hospital, disse a agência de notícias semioficial Mehr, citando uma fonte da polícia. O governador de Teerã, Morteza Tamaddon, disse que a inteligência e agências de segurança iniciaram uma investigação, mas ninguém foi preso ainda.

Os assassinatos certamente vão elevar as tensões com o Ocidente, na medida em que o Irã avança com seu programa atômico, que quatro rodadas de sanções da Organização das Nações Unidas (ONU) não conseguiram interromper.

Os Estados Unidos, Israel e outros aliados acusam o Irã de tentar desenvolver a capacidade de fabricar armas nucleares. O Irã nega as acusações e diz que seu programa nuclear tem apenas objetivos pacíficos.

Dois homens mataram hoje um físico iraniano envolvido no programa nuclear do país, num ataque semelhante a outros assassinatos recentes de cientistas. Teerã acusa Israel e os Estados Unidos pelas mortes. Os homens se aproximaram, de moto, do carro de Darioush Rezaei quando ele estava indo para sua casa no nordeste de Teerã. Sua mulher e sua filha também estavam no automóvel, segundo o site de notícias asriran.com.

Rezaei, de 35 anos, era professor de física com especialização em transporte de nêutrons, que está no centro da cadeia de reações nucleares em reatores e bombas. Em novembro, um outro cientista com a mesma especialização foi assassinado. Várias informações divulgadas pela mídia, incluindo a agência semioficial Isna, ligam o cientista ao programa nuclear iraniano.

Os homens chamaram Rezaei pelo nome, atiraram em seu pescoço e deram meia-volta, disse a emissora estatal Press TV, citando testemunhas. Sua mulher ficou ferida e foi levada rapidamente para o hospital, disse a agência de notícias semioficial Mehr, citando uma fonte da polícia. O governador de Teerã, Morteza Tamaddon, disse que a inteligência e agências de segurança iniciaram uma investigação, mas ninguém foi preso ainda.

Os assassinatos certamente vão elevar as tensões com o Ocidente, na medida em que o Irã avança com seu programa atômico, que quatro rodadas de sanções da Organização das Nações Unidas (ONU) não conseguiram interromper.

Os Estados Unidos, Israel e outros aliados acusam o Irã de tentar desenvolver a capacidade de fabricar armas nucleares. O Irã nega as acusações e diz que seu programa nuclear tem apenas objetivos pacíficos.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email