Alvo de processo de impeachment, presidente do Peru renuncia

O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski (PPK), anunciou a sua renúncia nesta quarta-feira, segundo informou a mídia local; de acordo com o jornal La República, o chefe de Estado peruano, que está no poder há um ano e sete meses, tomou a decisão em meio à crise provocada por uma suposta compra de votos em troca de obras; caso está relacionado com as investigações da Lava Jato e a Odebrecht

Presidente peruano, Pedro Pablo Kuczynski 17/10/2017 Governo Peruano/Divulgação via Reuters
Presidente peruano, Pedro Pablo Kuczynski 17/10/2017 Governo Peruano/Divulgação via Reuters (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com Sputnik - O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski (PPK), anunciou a sua renúncia nesta quarta-feira, segundo informou a mídia local. Ele era alvo de um processo de impeachment.

De acordo com o jornal La República, o chefe de Estado peruano, que está no poder há um ano e sete meses, tomou a decisão após uma reunião do Conselho de Ministros, em meio à crise provocada por uma suposta compra de votos em troca de obras.

O partido opositor peruano Força Popular, liderado por Keiko Fujimori, divulgou nesta terça-feira 20 imagens de uma suposta negociação de compra de votos envolvendo o irmão e desafeto da ex-presidenciável, Kenji Fujimori.

As gravações foram divulgada dois dias antes de o PPK, que derrotou Keiko em 2016 numa disputa apertada, voltar a ter sua deposição nas mãos dos parlamentares devido a sua ligação com a empreiteira brasileira Odebrecht.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247