Ao lado dos EUA, Brasil ataca a China, seu maior parceiro comercial, na OMC

Numa iniciativa que demonstra a perda de soberania nacional, o Brasil decidiu entrar com uma iniciativa na Organização Mundial do Comércio contra a China, nosso maior parceiro comercial; Celso Amorim analisa

Donald Trump, Jair Bolsonaro e Xi Jinping
Donald Trump, Jair Bolsonaro e Xi Jinping (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Brasil se uniu aos Estados Unidos nesta terça-feira (21) em uma iniciativa para prejudicar a China na Organização Mundial do Comércio (OMC). 

Um documento assinado em conjunto com o país governado por Donald Trump, a quem Jair Bolsonaro presta reverências, pede que o princípio de economia de mercado tem de valer para todos os seus membros. Isso garantiria condições equitativas de competição econômica no comércio internacional.

A iniciativa bilateral que aproxima os dois países tem como alvo a China, cuja economia é marcada pelo forte intervencionismo estatal. O objetivo de Washington é empurrar a China para fora da OMC ou obrigar a organização a rever suas relações com Pequim, segundo informações do jornal Valor Econômico.

PUBLICIDADE

Confira entrevista com o ex-chanceler Celso Amorim sobre este e outros temas na TV 247:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email