Após investigação do FBI, Guarda Nacional afasta 12 integrantes que participariam da posse de Biden

Dentre os 12 afastados, dois postaram e enviaram mensagens de texto com “opiniões extremistas” sobre a posse. Os outros dez, segundo o chefe da Guarda Nacional, general Daniel Hokanson, foram afastados por “outras questões potenciais”

Presidente eleito dos EUA, Joe Biden
Presidente eleito dos EUA, Joe Biden (Foto: REUTERS/Mike Segar)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Autoridades dos Estados Unidos afastaram 12 membros da Guarda Nacional que trabalhariam na posse de Joe Biden, eleito nas eleições norte-americanas de 2020 e que assume nesta quarta-feira, 20.

Os guardas foram afastados após uma investigação do FBI (polícia federal de investigação do país), que trabalha no sentido de impedir manifestações contra a confirmação do resultado do pleito de 2020, após a invasão do Congresso no dia 6 de janeiro, por apoiadores de Donald Trump que alegavam fraude eleitoral.

Segundo a agência Associated Press, dentre os 12 afastados, dois postaram e enviaram mensagens de texto com “opiniões extremistas” sobre a posse, mas não foi detectada nenhuma ameaça específica ao democrata.

Os outros dez, segundo o chefe da Guarda Nacional, general Daniel Hokanson, foram afastados por “outras questões potenciais”.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email