Com voto do Brasil, Assembleia Geral da ONU aprova resolução que condena "agressão russa" na Ucrânia

141 dos 193 membros da Assembleia Geral votaram a favor da resolução, na reunião de emergência realizada nesta quarta-feira

www.brasil247.com - Reunião de emergência da Assembleia Geral da ONU 02/03/2022
Reunião de emergência da Assembleia Geral da ONU 02/03/2022 (Foto: REUTERS/Carlo Allegri)


247 - A Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou, com maioria esmagadora, a resolução da Assembleia Geral que condena a ação militar russa na Ucrânia e pede a retirada imediata das forças russas, informa o jornal inglês The Guardian

Na reunião de emergência realizada nesta quarta-feira (2), o texto foi aprovado com 141 votos a favor, 5 contra e 35 abstenções, em uma manobra diplomática com o objetivo de isolar a Rússia. Apenas Belarus, Eritreia, Coreia do Norte, Rússia e Síria votaram contra. Tradicionais adversários dos EUA, como Cuba, Irã e China, se abstiveram. A Assembleia Geral é composta por 193 membros.

A Rússia havia votado contra a realização da reunião de emergência, e a China se absteve, assim como Índia e Emirados Árabes Unidos. O Brasil, representado pelo diplomata Ronaldo Costa Filho, votou a favor da reunião e da resolução final.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O documento, co-patrocinado por 94 membros, diz que a ONU “deplora veementemente a agressão da Federação Russa contra a Ucrânia”, exige que “a Federação Russa cesse imediatamente seu uso da força contra a Ucrânia”  e implemente a “retirada imediata, completa e incondicionalmente de todas as suas forças militares”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A reunião da Assembleia Geral foi convocada sob a resolução "unindo pela paz", que refere ao órgão ameaças “se o conselho de segurança, por falta de unanimidade dos membros permanentes, deixar de exercer sua responsabilidade primária de agir conforme necessário para manter a paz e a segurança internacionais”. Na última sexta-feira, 28, a Rússia vetou uma resolução semelhante no Conselho de Segurança. 

O governo da Rússia defende que sua ação militar na Ucrânia não deve ser caracterizada como "agressão". Um de seus objetivos declarados é "desnazificar" a Ucrânia, assim como proteger a República Popular de Donetsk e a República Popular de Lugansk. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Veja abaixo a resolução adotada (em inglês) e, mais abaixo, como cada Estado-membro votou: 

 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email