Ataques contra a Síria foram realizados por interesse do Reino Unido e não a pedido de Trump

Quem diz é a primeira-ministra britânica, Theresa May; “Nós não fizemos isso porque o presidente Trump nos pediu, nós fizemos porque acreditamos que era a coisa certa a fazer, e não estamos sozinhos. Há amplo apoio internacional para a ação que tomamos”

Quem diz é a primeira-ministra britânica, Theresa May; “Nós não fizemos isso porque o presidente Trump nos pediu, nós fizemos porque acreditamos que era a coisa certa a fazer, e não estamos sozinhos. Há amplo apoio internacional para a ação que tomamos”
Quem diz é a primeira-ministra britânica, Theresa May; “Nós não fizemos isso porque o presidente Trump nos pediu, nós fizemos porque acreditamos que era a coisa certa a fazer, e não estamos sozinhos. Há amplo apoio internacional para a ação que tomamos” (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

LONDRES (Reuters) - A decisão do Reino Unido de conduzir ataques aéreos contra a Síria foi tomada pelo interesse nacional do país e não como resultado de pressão exercida pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse a primeira-ministra britânica, Theresa May, ao Parlamento nesta segunda-feira.

“Nós não fizemos isso porque o presidente Trump nos pediu, nós fizemos porque acreditamos que era a coisa certa a fazer, e não estamos sozinhos. Há amplo apoio internacional para a ação que tomamos”, disse May.

Reportagem de Elizabeth Piper

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247