"Basta de terraplanismo", diz chanceler venezuelano ao rebater ataques de Ernesto Araújo

Ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, repudiou nesta terça-feira (5) declarações do chanceler Ernesto Araújo de que o Brasil não reconhecerá novo Congresso venezuelano

Jorge Arreaza e Ernesto Araújo
Jorge Arreaza e Ernesto Araújo (Foto: REUTERS)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sputnik - Por meio do Twitter, Araújo disse que o governo brasileiro "reitera seu reconhecimento à Assembleia Nacional legitimamente eleita em 2015".

No dia 6 de dezembro, foram realizadas eleições parlamentares na Venezuela para compor o novo Congresso, para mandato de 2021 até 2025, que foi iniciado nesta terça-feira (5).

As legendas de oposição, alegando fraudes, boicotaram o pleito, vencido pelo partido do presidente Nicolás Maduro. 

​Em resposta, também pelo Twitter, o chanceler venezuelano, em português, conclamou Araújo a atuar "como um verdadeiro ministro". "Basta de terraplanismo", afirmou a autoridade venezuelana. 

Além disso, Arreaza pediu para o diplomata brasileiro citar qual artigo da Constituição da Venezuela impediria a posse da nova Assembleia Nacional. 

​Em três mensagens publicadas no Twitter sobre a questão, Araújo se colocou contra a posse dos novos parlamentares, defendendo a continuidade da antiga Assembleia, dominada pela oposição. 

Além disso, Araújo afirmou que o Brasil continuaria "trabalhando com a atual legislatura e com Juan Guaidó na qualidade de presidente encarregado, visando a que em breve sejam realizadas eleições presidenciais e parlamentares livres e transparentes para colocar fim à usurpação de Maduro e seu conluio com o crime organizado".

O partido chavista obteve 256 das 277 cadeiras da nova Assembleia. A participação popular no pleito foi de 30%. O início do novo mandato colocou fim a cinco anos de gestão de maioria opositora na Casa, período marcado por conflitos entre o órgão e outros poderes. 

Além disso, decisão de 2016 do Tribunal Supremo de Justiça deixou sem efeitos as ações legislativas da então Assembleia Nacional. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email