Biden deve acabar com bullying na América Latina e ter como alvo maior a destruição ambiental de Bolsonaro

Se eleito presidente dos Estados Unidos, Joe Biden pode mudar trajetória intervencionista na América Latina, mas não deixaria passar a ação contra Bolsonaro por destruir a Amazônia

Joe Biden e Jair Bolsonaro
Joe Biden e Jair Bolsonaro (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - De acordo com o principal jornal dos Estados Unidos, o New York Times, que entrevistou assessores de Joe Biden, os planos do candidato democrata à presidência dos EUA em relação à América Latina consistem principalmente em "acabar com a política de bullying”, inclusive em relação a Cuba e Venezuela.

Mas “há uma questão sobre a qual Biden parece inclinado a jogar duro, a mudança do clima”, ou seja, o desmatamento. Segundo um dos assessores, “ele não vai segurar os socos”, não vai hesitar, “em desafiar Bolsonaro”. A informação está na coluna de Nelson de Sá na Folha de S.Paulo.

A agência noticiosa Reuters também destaca que “se Biden vencer, Bolsonaro perde aliado chave em comércio e clima”. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247